Café com Lupi Especial – 100 anos de Brizola


Da Redação
22/01/2022

O programa apresentou a série “Brizola tinha razão” contando a trajetória do líder trabalhista gaúcho

 

Neste sábado (22), uma edição especial do Café com Lupi foi apresentada em homenagem ao centenário de nascimento do fundador, inspirador e maior líder da história do PDT, Leonel de Moura Brizola. O programa se concentrou na exibição da série “Brizola tinha razão”, apresentada pelos netos do trabalhista gaúcho, Juliana Brizola e Brizola Neto. Ao lado do presidente nacional da legenda, Carlos Lupi, estava o vice-presidente nacional e pré-candidato do partido à presidência da República, Ciro Gomes, comentando o documentário.

A série produzida pela Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini foi dividida em sete episódios, cada um com uma temática específica, tratando desde a origem de Brizola, em 1922, até a sua despedida, em 2004. Para abordar a dedicação do fundador do PDT à Educação, o documentário separou dois capítulos. Além do maior legado brizolista, a produção abordou temas como Trabalhismo, defesa da legalidade e influencia internacional do líder pedetista.

No quesito Educação, o documentário mostra a energia gasta por Leonel Brizola para revolucionar a área no país, ao longo de toda a sua trajetória política. São apresentados das Brizoletas – escolas criadas quando estava à frente do município de Porto Alegre –, aos Brizolões, os Centros Integrados de Educação Pública (Cieps), no Rio de Janeiro. Ainda são apresentados dados como o gasto em Educação em seu governo no Rio Grande do Sul, no final da década de 1950 e início dos anos 1960, estipulado em 36% do orçamento total.

Em um trecho de declaração dada por Brizola ainda na década de 1980, ele afirmava: “O nosso governo vai ter privilegiados. Sabe quais são? Vão ser as nossas crianças. Elas vão estar fora do orçamento, porque uma nação que realmente se preza reserva tudo o que tem de melhor para as suas crianças”. Essa fala resume bem aquilo que o governador do Rio de Janeiro acreditava e pelo que lutou ao longo da vida.

Lembrando uma passagem que viveu com o líder pedetista, Carlos Lupi expôs um exemplo de como o povo se sentia em relação às políticas educacionais trabalhistas. “Houve uma ocasião em que fomos [Lupi e Brizola] ao Tribunal de Justiça e um rapaz que lá estava entregou a sua carteirinha da OAB à Brizola e disse: ‘Governador, eu só consegui chegar até aqui graças ao Brizolão. Eu sou advogado graças ao senhor’”, contou.

Brizola era reconhecido pelo povo brasileiro não só por suas políticas inclusivas, mas também por sua coragem e defesa da legalidade. Sobre esse assunto, o documentário rememora a Campanha da Legalidade de 1961 e o direito de resposta que teve durante a exibição do Jornal Nacional da Rede Globo em 1994, feitos únicos na história política brasileira. A série ainda trata dos princípios trabalhistas apresentados por Getúlio Vargas e levado à frente pelo líder pedetista; da criação do PDT; e do respeito e influência internacional que teve como auge a vice-presidência da Internacional Socialista.

De acordo com Ciro, a homenagem a Brizola supera a ideia de lembrança do passado e se concentra nos ensinamentos deixados pelo trabalhista gaúcho. “A gente precisa tirar essa lição para o futuro. A homenagem maior que a gente faz a Brizola não é expressar a gratidão pelo exemplo vivo dele, mas é tirar as lições preciosas”, afirma o presidenciável pedetista, político em quem Leonel Brizola depositou o seu último voto, nas eleições presidenciais de 2002.

Carlos Lupi concorda com o posicionamento de Ciro e reafirma que essa é a maior intenção da produção. “Essa é a nossa intenção. É mostrar que nenhuma homenagem pode ser maior do que seguir essas ideias e lutar por elas”, conclui o presidente nacional do PDT.

Assista o programa abaixo.