Destaque

Ciro lança neste sábado (30/5) às 19 horas seu novo livro “Projeto Nacional – o Dever da Esperança” sendo entrevistado ao vivo pela internet pela jornalista Mara Luquet

Ciro Gomes lança neste sábado (30), às 19h, seu mais novo livro, intitulado Projeto Nacional: o Dever da Esperança. O lançamento será feito através de lives nos canais do autor nas redes sociais (/cirogomesoficial) e da editora Leya, no YouTube (/leyabrasil). Em conversa com a jornalista Mara Luquet, Ciro vai apresentar a nova obra, que define como sua “contribuição pessoal a uma reflexão inadiável sobre o Brasil, as raízes de seus graves problemas e as pistas para sua solução”.  A frase, presente na introdução do livro, reflete o espírito de Projeto Nacional e de seu autor: não só oferecer um diagnóstico das principais questões que atrapalharam o nosso desenvolvimento com democracia, liberdade e justiça, como também apresentar um vasto conjunto de ideias capazes de direcionar o Brasil rumo a um futuro desejável.

ESTADUAL

Estadual

PDT, PSB, PV, Rede e Cidadania promovem ato hoje nas redes sociais, às 18h30m, pedindo o impeachment de Bolsonaro

Nesta terça-feira (19), o PDT, em parceria com o PSB, Rede, Cidadania e PV lançam o movimento “Janelas pela democracia: impeachment já”, ato virtual que será transmitido ao vivo pelas redes sociais das cindo legendas que realizam o evento. O movimento reunirá os dirigentes e militantes das legendas, intelectuais, artistas, lideranças políticas de todo o País, em defesa da democracia e da consolidação dos mais de 30 pedidos de impeachment de Bolsonaro que tramitam no Congresso Nacional, sendo que um deles é do PDT. O ato poderá ser visto na página do PDT no Face (https://www.facebook.com/pdt.org.br/).

Estadual

PDT entra no STF contra MP que pretende isentar agentes públicos de punições por erros no combate ao coronavírus

O PDT ajuizou uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) contra a MP nº 966/2020, hoje (15), no Supremo Tribunal Federal (STF) que pretende isentar agentes públicos de punições por eventuais erros em medidas de combate ao coronavírus. A contestação à medida provisória foi feita através do advogado Lucas de Castro Ribas, da assessoria jurídica. O partido entende que a medida é uma tentava de burlar a atuação do Poder Judiciário em casos de improbidade administrativa e responsabilidade por danos.

Estadual

Deputado Chico D’Angelo escreve: ‘Vivemos crise ética devastadora, fortalecer o SUS será prioridade da nova agenda’

“O país perdeu a inteligência e a consciência moral. Os costumes estão dissolvidos, as consciências em debandada, os caráteres corrompidos”. Este diagnóstico aterrador consta nas linhas iniciais do primeiro livro das “Farpas”, escrito por Eça de Queiroz e Ramalho Ortigão, em 1871. Tais palavras se aplicariam perfeitamente ao Brasil contemporâneo, em grande parte violento, misógino e preconceituoso. A sociedade brasileira vive uma crise ética devastadora, radicalizada pelas iniciativas estapafúrdias do governo federal na  pandemia da Covid-19.

Estadual

Ciro analisa para Mariana Godoy incompetência de Bolsonaro e Guedes para enfrentarem colapso da economia

Em entrevista para Mariana Godoy, ontem (11/5), o ex-ministro Ciro Gomes passou a limpo vários assuntos do momento como a pandemia de Coronavírus – que já matou mais de 10 mil pessoas; e também os graves problemas econômicos que o país enfrenta por conta do colapso na economia provocando pela doença e pela incompetência de Paulo Guedes. Segundo Ciro, no momento 162 mil brasileiros estão hospitalizados devido a crise de saúde pública.

Estadual

Covid-19 leva esta semana Leda Viana, viúva de Cibilis Viana; e o cineasta Jesus Chediak, além de milhares de brasileiros

Na última semana o PDT e o Brasil perderam duas pessoas importantes e emblemáticas: Dona Leda D’Ávila Viana, viúva de um dos principais colaboradores de Leonel Brizola ao longo de sua vida política, o ex-secretário de finanças e Governo Cibilis da Rocha Viana, mãe da Ana Luíza, da Márcia e do Ricardo; e também o cineasta e homem ligado à Cultura, Jesus Chediak, diretor da atual administração da Associação Brasileira de Imprensa (ABI). Perfazendo um total de mais de 10 mil brasileiros mortos desde o início da pandemia no país, em março passado. Segundo relato do amigo e vizinho Aziz Filho, Dona Leda “Tomava sol todo dia de manhã sentada no banco de madeira do jardim que ela cercou, quando era síndica, sob protestos do vizinho famoso – Leonel Brizola”.

Estadual

Ciro Gomes no 1° de Maio virtual das centrais sindicais: “É fundamental que o Brasil tenha projeto de desenvolvimento”

Promovido pelas centrais sindicais brasileiras, o palanque virtual do Dia do Trabalhador reuniu ontem em evento virtual que durou seis horas os principais líderes da Oposição ao governo Bolsonaro, entre eles o ex-candidato do PDT à presidência Ciro Gomes; a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva; e os  ex-presidentes da República Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma Rousseff e Fernando Henrique Cardoso.  Ainda pela data, bolsominions agrediram enfermeiras que protestavam  diante do Palácio do Planalto por suas péssimas condições de trabalho.

Estadual

Mínimo, criado por Vargas no 1° de Maio de 1940, completa 80 anos hoje e José Augusto Ribeiro escreve: “Quando o salário-mínimo valia 500 dólares”

O salário-mínimo, criado por Getúlio Vargas em 1940, completa hoje, 1° de Maio de 2020 – 80 anos. E o escritor e jornalista José Augusto Ribeiro, biógrafo de Vargas, escreve o artigo inédito intitulado “Quando o Salário-Mínimo valia 500 dólares”, relembrando a trajetória do salário referência para os trabalhadores brasileiros desde os dias de sua criação, até os dias de hoje, de pandemia e de desemprego, passando pelos tempos áureos de JK. Para lembrar a data da sua criação, transcrevemos também o discurso de Vargas no 1° de Maio de 1951 quando ele, de volta ao poder nos braços do povo, pelo voto direto da população, fez longo e detalhado discurso dirigido aos trabalhadores e aos sindicatos brasileiros. Confiram.

Estadual

Henrique Matthiesen escreve sobre a crise: ‘Jair Messias Bolsonaro e Sérgio Moro, tudo farinha do mesmo saco’

Henrique Matthiesen, do Centro de Memória do PDT, analisa o momento de crise que vivemos e afirma: “A briga do ex-ministro da Justiça Sergio Moro, com o presidente Jair Bolsonaro, traz a público o que muitos já sabiam e outros imaginavam, ou seja, uma briga de vaidades, de chantagens, de crimes, de gangsteres. A disputa de poder entre eles mostra que a dita “nova política”, hipocritamente discursada, é apenas retóricas vazias e desonestas que visam manipular parte do eleitor brasileiro desiludido. Havia sim uma disputa de poder entre Moro e Bolsonaro, a qual as chantagens e a manipulação da Polícia Federal para uso político, tanto de um como outro era evidente. Prevaricações, interferências políticas em investigações e abuso de poder foram apenas alguns dos crimes praticados por ambos.”

Estadual

José Augusto Ribeiro escreve sobre protagonismo do PDT entre os partidos de esquerda: “Reforma urbana já!”

Com as vitórias que já teve na Justiça, a liminar de primeira instância contra os bancos e a liminar do Supremo contra Bolsonaro e em defesa da competência concorrente dos Estados e municípios para adotar medidas contra o coronavírus, e mais ainda com o pedido de impeachment formalizado na Câmara dos Deputados, o PDT assumiu, no quadro político que estamos vivendo, um papel mais importante, um protagonismo maior que os de qualquer outro partido de esquerda. Sem precipitação, sem sofreguidão, mas refletidamente, o PDT saiu na frente e agiu rápido. No plano político, ele tem de aguardar agora a melhor oportunidade para que o pedido de impeachment seja aceito e comece a andar na Câmara – oportunidade que a demissão de Sérgio Moro pode acelerar. No plano econômico, vai ser preciso que os bancos afinal se curvem à decisão da Justiça, o que não parece estar acontecendo.

Em foco

Ciro, pela Internet, faz críticas a Bolsonaro por apostar no golpe: “Conheço ele do Congresso onde sempre foi ligado a tudo que não presta”

Ciro, pela internet, fez a sua mais contundente crítica ao governo de Bolsonaro depois que o presidente, pessoalmente, convocou seguidores para o ato contra o Congresso e o STF programado por grupos de extrema direita para o próximo dia 15/3, em Brasília. Enfático, Ciro fez críticas a iniciativa de Bolsonaro e seus ministros de apoiarem o que definiu como golpe – e não poupou críticas a política de segurança pública e ao que aconteceu em Sobral, ainda as voltas com um motim de policiais militares. Ciro questionou o governo federal no episódio, criticou a defesa dos milicianos feita pelo presidente e seus filhos.

CONVENÇÕES MUNICIPAIS DO PDT RJ