Vice-Procurador-Geral da República, Humberto Jacques, entra com ação no TSE para manter Crivella inelegível

O vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques, entrou com ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para que a Justiça Eleitoral mantenha a inelegibilidade da candidatura de reeleição de Marcelo Crivella ( Republicanos ) à Prefeitura do Rio de Janeiro. No pedido, Jacques relembra o julgamento pelo TRE-RJ que retirou os direitos políticos de Crivella até 2026, por abuso de poder político pelo uso,  em 2018, de funcionários municipais em comício para seu filho, Marcelo Crivella Filho, então candidato a deputado federal.

“Revela-se a prática de abuso de poder político, com a participação direta do requerente, consubstanciado em amplo e orquestrado esquema voltado à participação de funcionários e utilização de bens da empresa estatal COMLURB em evento de campanha”, diz o vice-procurador Humberto Aras , que é vice de Augusto Aras na Procuradoria Geral da República, este alinhado a Jair Bolsonaro.

Importante destacar  que – ao contrário da iniciativa do procurador Humberto Jacques – na última terça-feira (27), Crivella teve o registro da sua candidatura deferido pelo TSE por meio de uma liminar solicitada por seus advogados – e que no parecer  a candidatura do ‘bispo’ da Igreja Universal do Reino de Deus e atual prefeito da Cidade do Rio de Janeiro foi autorizada “sob condição”.

Marcelo Crivella está em 2° lugar na última pesquisa Datafolha, empatado tecnicamente com a candidata Martha Rocha (PDT), ambos com 13%; seguidos da candidata Benedita da Silva (PT) com  10%. Também de acordo com a última  Datafolha, Crivella é o candidato mais rejeitado pelo eleitor (58%), seguido pelo ex-prefeito Eduardo Paes (DEM), que tem 31% de rejeição, mas está em 1° lugar; seguido de Benedita com 27% de rejeição do eleitorado.

Martha é a menos rejeitada entre todos os candidatos, com 7%.

Nesta quarta, Crivella comemorou a notícia de que o presidente Jair Bolsonaro vai entrar oficialmente na sua campanha à reeleição, o que na prática já vem sendo feito nos programas do horário eleitoral gratuito – com o uso indiscriminado de imagens de Crivella junto com Bolsonaro. “Grande dia”, escreveu o prefeito ao compartilhar nas redes sociais uma publicação do deputado Otoni de Paula (PSC-RJ) sobre o anúncio do apoio presidencial.

Até o mês passado, Otoni era um crítico ferrenho do prefeito, chegando a declarar que votaria em qualquer candidato, menos Crivella. A mudança de postura, segundo o deputado, ocorreu após uma “orientação expressa” de Bolsonaro – de acordo com informação do jornal “Globo”.

O deputado faz parte do Centrão, grupo de partidos e parlamentares que dão sustentação política no Congresso ao governo Bolsonaro, geralmente em troca por emendas parlamentares – uma das fontes de recursos públicos muito utilizada em esquemas de corrupção, segundo identificou a Lava Jato.  O atual prefeito da Cidade do Rio de Janeiro  é apontado pelo Ministério Público do Rio como “protagonista” em esquema de corrupção na Prefeitura e é investigado em duas CPIs na Câmara Municipal.