Bancada do PDT impede aumento de impostos em Campos

Posicionamento contrário de vereadores do partido fez o prefeito Wladimir Garotinho recuar

Em função da oposição do PDT, o projeto de aumento de impostos em Campos dos Goytacazes (RJ) foi retirado, nesta quarta-feira (11), da pauta da Câmara. O recuo foi solicitado pelo prefeito Wladimir Garotinho diante da iminente derrota. Seguindo orientação da direção local do partido, os parlamentares Luciano Rio Lu e Marquinho do Transporte – novo líder da bancada – manifestaram contrariedade à proposta do novo código tributário, que foi classificada como “pacote de maldades”.

Em documento assinado pelo presidente local e vice-presidente regional, Caio Vianna, a sigla brizolista ressaltou as crises social e econômica que o município do Norte Fluminense atravessa, além de citar o já previsto aumento de arrecadação no orçamento, que deve alcançar cerca de R$ 2,2 bilhões em 2021. “Estamos vivendo um momento de pandemia, uma das maiores crises já vistas mundialmente. As pessoas estão com menos dinheiro no bolso, perdendo o emprego e as empresas estão fechando. As pessoas estão passando fome”, pontuou Vianna, em vídeo nas redes sociais durante a tarde.

“A prefeitura, neste ano, vai arrecadar mais do que ela arrecadou no ano passado, […] quando o prefeito, em eleição, disse que o problema não era dinheiro, mas gestão. Então, o que está faltando ainda é gestão”, criticou.

Ao citar a necessidade de retomar o caminho do progresso, ausente desde as gestões do prefeito pedetista Arnaldo Vianna entre 1996 e 2004, Caio indicou que “é preciso pensar de forma alternativa e inteligente” para gerar emprego e renda.

“[Implementar] Mecanismos para atrair desenvolvimento econômico para a nossa cidade, mas sem prejudicar o bolso do cidadão campista e das empresas”, afirmou o pedetista, que também é pré-candidato a deputado federal.

 

(por Bruno Ribeiro)