TSE amplia combate a ‘fakenews’ firmando novas parcerias: agora já são 57

O programa de combate as fakenews (mentiras em formato de notícias)  do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já conta para as eleições municipais deste ano com 57 parcerias com  instituições para combater os efeitos negativos das falsas notícias no processo eleitoral, entre elas a Associação Brasileira de Imprensa (ABI), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e  ABERT.

Também são parceiros do TSE o Ministério Público Federal, o Senado Federal, partidos políticos, associações, além das  plataformas Google, Facebook, Instagram e WahtsApp.

As principais agências de checagem de notícias também aderiram ao programa bem como diversos segmentos da imprensa, telecomunicações, tecnologia da informação, provedores de internet, entre muitos outros.

A luta contra as fakenews prevê uma série de iniciativas para capacitar as pessoas a identificar e checar uma desinformação, estimular a compreensão sobre o processo eleitoral, desestimular a proliferação de informações falsas e aperfeiçoar métodos de identificação da disseminação de conteúdos falsos.

A ideia, segundo o presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, é “coibir a disseminação de notícias falsas não pelo controle de conteúdo, mas mediante esclarecimentos, conscientização e informações de qualidade capazes de conter esse fenômeno do mal. Liberdade de expressão não é liberdade para difundir a mentira e o ódio”.ia