Termina hoje, com Ciro, Estrella e Beluzzo o seminário da Revolução de 30

O seminário sobre os 90 anos da Revolução de 30 termina hoje às 19 horas com a mesa de debate que vai reunir o descobridor do pré-sal, o geólogo Guilherme Estrella; o ex-ministro e ex-governador Ciro Gomes; e o economista Luiz Gonzaga Beluzzo. A Revolução de 30 foi um  movimento popular e nacionalista que acabou com a política do café-com-leite, controlada pelas oligarquias da República Velha, inaugurando décadas de desenvolvimento brasileiro a partir da ascensão de Getúlio Dornelles Vargas ao poder.

O seminário sobre os 90 anos da Revolução de 30 termina hoje às 19 horas com a mesa de debate que vai reunir o descobridor do pré-sal, o geólogo Guilherme Estrella; o ex-ministro e ex-governador Ciro Gomes; e o economista Luiz Gonzaga Beluzzo. A Revolução de 30 foi um  movimento popular e nacionalista que acabou com a política do café-com-leite, controlada pelas oligarquias da República Velha, inaugurando décadas de desenvolvimento brasileiro a partir da ascensão de Getúlio Dornelles Vargas ao poder.

Celebrado, oficialmente a partir do dia 3 de outubro daquele ano, o conjunto de atos revolucionários – e deflagrados por operações militares –, resultaram em um governo provisório liderado Getúlio Vargas. Símbolo do Trabalhismo, o ex-presidente da República foi um dos homenageados já abertura, no dia 5, às 19h.  O painel “De pé pelo Brasil”, de abertura, contou com as presenças do jornalista José Augusto Ribeiro, da professora da PUC-Rio, Maria Celina D’Araujo, e da historiadora, Rosa Maria Araújo.

Hoje, no encerramento do ciclo, está programada a palestra do ex-governador e vice-presidente nacional do PDT, Ciro Gomes, juntamente com Estrella e o economista Luiz Gonzaga Beluzzo – debatendo o tem a “Desenvolvimentismo de Vargas”.

Segundo o coordenador do Centro de Memória Trabalhista (CMT) do PDT, Henrique Matthiesen, “O PDT valoriza sua história e seus líderes, por isso este seminário é mais uma oportunidade de ratificar nossa luta em prol da democracia, dos direitos sociais, das riquezas nacionais e da soberania patriótica”, afirmou.

Acompanhe o debate, ao vivo, pelos canais do PDT, da Fundação e do CMT nas redes sociais, incluindo Facebook e Youtube.

(O.M. com Bruno Cardoso)