1° Seminário de prefeitos do PDT destaca importância do combate integrado à Covid

Trabalho integrado  dos prefeitos do PDT alavanca Ciro e Projeto Nacional de Desenvolvimento

*Por Bruno Ribeiro /  PDT-RJ

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, ao abrir nesta segunda-feira (8/2) o I° Seminário Trabalhista Para Prefeitos e Prefeitas para discutir a pandemia de Covid-19, destacou a importância do trabalho integrado dos mais de 300 prefeitos eleitos pelo PDT nas últimas eleições no combate à doença para a consolidação do Projeto Nacional de Desenvolvimento (PND) defendido pelo ex-ministro e ex-governador Ciro Gomes, candidato do partido à presidência da República nas eleições presidenciais do ano que vem.

Rodrigo Neves, ex-prefeito de Niterói

Organizado pela Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini (FLB-AP), pelo ex-prefeito Rodrigo Neves  e pelas principais lideranças municipais do partido, o objetivo do seminário é ampliar a qualificação dos prefeitos da legenda através do engajamento dos gestores em iniciativas voltadas para o desenvolvimento das potencialidades econômicas do Brasil e também no combate à pandemia de Covid-19.

“Estamos promovendo seminários para que os nossos prefeitos sejam a principal base política do Projeto Nacional de Desenvolvimento que Ciro vem difundindo e divulgando em suas entrevistas difundidas por todo o Brasil. Este, especificamente, foi organizado pela Fundação em parceira com o ex-prefeito de Niterói, por duas vezes, Rodrigo Neves – que na prática, à frente da administração de sua cidade, capacidade, competência e força eleitoral”, argumentou Lupi sobre o conjunto de debates voltados para a questão municipal.

“Nós, do PDT, somos a resistência da democracia contra qualquer ditadura e os profetas da ignorância que imperam no Brasil de hoje”, completou.

Manoel Dias, Secretário Nacional do PDT

Primeiro da série programada para os próximos meses, o debate contou, ainda na abertura, com a participação do presidente da FLB-AP e secretário-geral do partido, Manoel Dias, que enalteceu a integração dos debatedores no fortalecimento das bandeiras do Trabalhismo. “Priorizem a educação; estimulem a criação de escolas públicas de horário integral – conhecimento emancipa e transforma a vida do povo”, afirmou Manoel Dias citando a importância dos legados de Getúlio Vargas, Leonel Brizola e João Goulart em defesa da escola pública de qualidade como parâmetro para a promoção de ações progressistas no campo popular. “É importante lembrar sempre aos prefeitos do PDT que a Educação sempre foi uma das principais bandeiras do Trabalhismo e mais do que nunca é hora de lembrar isto: construam escolas, trabalhem nos espaços que existem em seus municípios, eduquem nossas crianças porque a educação liberta”, destacou.

Na sequência, a partir da mediação e coordenação de Rodrigo Neves, especialistas analisaram a “Pandemia e os principais desafios da crise sanitária nas cidades em 2021”, com ênfase no trabalho dos governos bem sucedidos nessa luta, na transferência de dados e indicadores para análise de cenários, bem como na construção de projeções para superar os impactos.

Transmitido pelas redes sociais pedetistas, o painel teve como principais palestrantes o ex-prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio e o prefeito reeleito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, que analisaram caminhos exitosos da saúde pública municipal com contribuições do pesquisador da Fiocruz e diretor do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Rômulo Paes, e também com a participação no debate do doutor Roberto Medronho, da Fiocruz e da faculdade de Medicina da UFRJ.

Edvaldo Nogueira, prefeito de Aracaju (SE)

Rodrigo Neves, por sua vez, detalhou a sua gestão em Niterói, ampliada com a eleição do atual prefeito, Axel Grael — também presente; fazendo análise do que classificou de “cenário desafiador nas cidades” brasileiras, no atual momento já que na sua avaliação, é real a possibilidade de pandemias intermitentes, daí ser indispensável um planejamento estratégico e inovador “para enfrentar cada realidade nas regiões brasileiras por conta das interferências sociais, econômicas, fiscais e políticas” .

“Estamos, de fato, diante de um fenômeno sem precedentes. É a mais grave crise sanitária da nossa geração e ela vai mudar os paradigmas e os modelos de desenvolvimento e gestão”, ponderou, citando a necessidade de absorver bons exemplos adaptáveis “para mitigar problemas rotineiros como o nível de desigualdade social e o histórico de desorganização do espaço urbano” nas cidades brasileiras.

“O esforço do partido de propiciar a análise, a informação e, sobretudo, a troca de experiências na gestão pública é fundamental porque todos os prefeitos se veem, no dia a dia, diante de problemas que todos nós, que já governamos, enfrentamos. Os problemas são comuns a todos”, destacou Rodrigo Neves em seu relato. Atualmente ele cursa doutorado na Universidade de Coimbra onde apresentou projeto sobre o tema.

Roberto Cláudio, ex-prefeito de Fortaleza

Já Roberto Cláudio, que é médico, relatou medidas de sucesso que implementou na na Prefeitura de Fortaleza a partir de março de 2020 quando foi identificada e confirmada a transmissão comunitária do Coronavírus e a disseminação da Covid-19. Fortaleza, na atualidade, é uma as principais portas de entrada do país, atraindo grande número de turistas internacionais, procedentes da Europa; e também dos demais estados brasileiros.

“A primeira, e mais importante, atitude em relação ao Covid-19 foi a humildade de reconhecer a limitação de nossos conhecimentos sobre a doença e aprender com as experiências de outros gestores, no Brasil e no exterior”, relatou.

“Também tivemos o cuidado de seguir referências científicas e técnicas na área para que o processo de tomada de decisão do prefeito e dos secretários fossem baseados na melhor evidência. E, assim, acumulando os melhores conhecimentos sobre a pandemia”, destacou Roberto Cláudio acrescentou, relatando o delicado e difícil caminho de salvar vidas e trabalhar com responsabilidade.

Vacina

Para  Edvaldo Nogueira Filho, atual prefeito de Aracaju e vice-presidente da Frente Nacional de Prefeitos, a prioridade no momento é manter a política de prevenção em consonância com o plano de imunização. Segundo ele, o

Prefeito Axel Grael, de Niterói

balanço dos erros e acertos acumulados deve estar aglutinado no “olhar para o adiante”, seguir os melhores caminhos apontados pela experiência.

“O desafio dos prefeitos agora é de preparar suas equipas para as campanhas de vacinação mais organizadas possíveis. É preciso continuar o combate ao Coronavírus com as medidas de isolamento social, uso de máscaras e todas as demais preventivas, além de criar as melhores condições possíveis para a vacinação organizada e em massa da população, à medida que as doses da vacina forem chegando”, explicou.

Axel Grael, atual prefeito de Niterói, por sua vez, destacou a relevância da participação de Niterói nos testes e no  desenvolvimento da CoronaVac no Brasil, a partir da parceria desenvolvida com o Instituto Butantan; e nesse contexto, criticou a mobilização – tardia – do governo federal nesta mesma direção.  “As pessoas ficaram confusas com a falta de liderança e infelizmente houve orientações fragmentadas de cidade para cidade”, disse. Quanto ao fornecimento de novos lotes da vacina pelo Ministério da Saúde, frisou que “há total incerteza sobre quantitativos embora a demanda seja cada vez mais crescente.”

(O.M)

 Veja a íntegra das explanações e debates do primeiro encontro:

https://www.youtube.com/watch?v=W7MMJO_pGn4