“Se houver voto útil no Rio, será em benefício de Martha”, afirma Carlos Montenegro do Ibope

Carlos Augusto Montenegro afirma que a alta rejeição de Marcelo Crivella pode limitá-lo

O presidente do Ibope Inteligência, Carlos Augusto Montenegro, prevê que, se houver um movimento forte de voto útil no primeiro turno das eleições no Rio de Janeiro, isso acontecerá em favor de Martha Rocha (PDT), e não no atual prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) ou Benedita da Silva (PT).  “No Rio, se tiver voto útil, certamente vai para a Martha Rocha, não seria para o Crivella ou a Benedita. Mas acho que o normal é cada um votar no candidato em que acredita no primeiro turno e depois se posicionar no segundo turno”, disse Montenegro.

Montenegro participou de painel online organizado na manhã desta terça-feira pela Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), quando analisou as eleições municipais em todo o país. Martha hoje aparece empatada na pesquisa do instituto, com 14% das intenções de voto, atrás de Eduardo Paes (DEM), que tem 33% e Crivella; praticamente ao lado de Crivella, com 15%.

Benedita da Silva tem 9% das intenções de voto.

Ao analisar a disputa no Rio, Montenegro disse que Paes está virtualmente garantido no segundo turno, uma vez que, a fim de indicar o número de eleitores indecisos, as pesquisas captam votos totais e não votos válidos. Se este fosse o parâmetro, diz, Paes estaria acima dos 40% nas medições. Sobre a disputa sobre a ida ao segundo turno, Montenegro afirmou que ainda é difícil fazer previsões, porque Marta e Crivella estão estáveis nas pesquisas há semanas.

Ele disse, porém, que a alta rejeição de Crivella pode limitá-lo nesta última semana, quando Martha pode finalmente herdar os votos úteis dos candidatos menores.

“Crivella está estável o tempo todo, com cerca de 15% e uma rejeição muito forte. Ele pode até chegar ao segundo turno, mas com esse percentual que ele já tem. A Martha começou a campanha pontuando entre 7% e 8%. Aí teve um debate na Bandeirantes e logo ela foi a 12%, 13%, mas já tem duas ou três pesquisas em que estabilizou nisso”, explicou.

O presidente do Ibope disse ainda que, para Paes, um segundo turno contra Martha será mais acirrado do que contra Crivella.

“Pela rejeição do Crivella, Eduardo [Paes] teria menos dificuldades de ser eleito. A eleição com a Martha Rocha seria uma eleição bem mais dura”, disse. Montenegro lembrou, também, o histórico político da capital fluminense, que pode favorecer Martha nessa eleição.

“O PDT sempre foi um partido muito tradicional no Rio de Janeiro, teve muitas vitórias e vários políticos da cidade são oriundos do PDT. Toda a classe política do Rio começou no PDT, como Cesar Maia e Garotinho. Aqui no Rio o PT nunca ganhou uma eleição, nem no Estado e nem na cidade. A Bené [Benedita da Silva] assumiu o Estado porque era vice do Garotinho, que saiu para disputar a presidência”, concluiu.

 

Fonte: “Valor Econômico”,  Gabriel Vasconcelos