Rodrigo Neves visita Friburgo e discute “Estado do Rio que Queremos”

O vice-presidente estadual do PDT, Rodrigo Neves, pré-candidato do PDT a governador em 2022, esteve nesta segunda-feira (26/7) em Nova Friburgo para debater o plano “O Estado do Rio que Queremos”, que está sendo discutido através de debates com segmentos do PDT e representantes da sociedade espalhados por todo o Rio de Janeiro como proposta de reconstrução do Estado.  Rodrigo se reuniu com a imprensa de Nova Friburgo, com o setor produtivo e com correligionários do PDT.

A agenda dele, composta de encontros com lideranças empresariais e comunitárias, começou com uma visita à sede do jornal A VOZ DA SERRA, onde foi recebido pela diretora, Adriana Ventura; o jornalista Wanderson Nogueira; estando acompanhado do prefeito de Cabo Frio, José Bonifácio; o ex-secretário estadual de Educação, Comte Bittencourt; o vereador de Niterói Binho Guimarães e outros representantes.

Um debate, às 17h30 na quadra da escola de samba da Unidos da Saudade, foi agendado para esclarecer melhor o projeto, que inclui  criação de escolas técnicas, abertura de creches, escola em tempo integral com educação, cultura e esportes para todos os jovens,  um amplo programa de atenção básica da saúde com a cooperação e participação direta dos municípios levando a experiência do programa Médico de Família a todas as comunidades e regiões do estado; hierarquizar os serviços e fortalecer o SUS. Também houve um encontro na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), com representantes de várias entidades, como a Firjan.

Outro ponto é priorizar uma agenda territorial e de desenvolvimento urbano da Região Metropolitana, que concentra quase 80% da população do estado, e desenvolver as vocações econômicas do interior.

O projeto propõe ainda um “New Deal ecológico”, com a criação de frentes de trabalho nas áreas de saneamento, transporte público, meio ambiente, habitação de interesse social, retomada da economia e a geração de empregos e oportunidades. “Queremos trabalhar o potencial do desenvolvimento interior. Friburgo é uma das cidades mais industrializadas do interior do estado”, disse Neves.

Na educação, o projeto visa a construir um efetivo pacto pela educação reunindo a sociedade civil e demais instâncias de governos com ações de curto, médio e longo prazos; retomar o projeto do ensino em tempo integral dos Cieps; e reconstruir os Cieps abandonados, entre outros pontos.

“Apesar da maior crise da sua história, o Rio tem potenciais extraordinários de superação e tem solução. Vamos à luta com competência e compromisso popular, mobilizar as melhores energias e capacidades para elaboração e detalhamento do plano de reconstrução do Estado do Rio de Janeiro”, afirmou Rodrigo Neves.

Ranking da gestão fiscal

Prefeito de Niterói por dois mandatos, ex-vereador, deputado estadual e ex-secretário estadual de Assistência Social, Rodrigo Neves é, segundo Wanderson Nogueira, o principal nome do PDT para disputar o governo do estado. Ele apresentou dados que mostram a evolução de Niterói no ranking de gestão fiscal do Rio de Janeiro. No início de seu mandato, a cidade ocupava o 58° lugar, enquanto no fim de seu mandato, em 2020, a cidade passou a ocupar a primeira  posição.

Para Neves, é com transparência que se combate a corrupção.

O turismo, por exemplo, é um ponto chave do desenvolvimento, a partir da nova realidade do mundo. Em um cenário de pandemias, o turismo internacional será substituído pelo chamado turismo de proximidade. Neves afirma que, no Sudeste, com mais de 70 milhões de habitantes, Nova Friburgo será um destino muito procurado. Analisar o planejamento que foi feito em cidades como Gramado e Canela pode ser um bom ponto de partida, criando projetos e estratégias que, além de trazer a retomada do setor turístico para a cidade, ajudará a desenvolver o estado.

Neves defende ainda que desburocratizar o estado é o pontapé inicial para a retomada de diversos setores.  Ele exemplifica a chamada Casa do Empreendedor com o apoio do Sebrae em Niterói, que permite aos empresários o alvará de funcionamento de lojas e empreendimentos em pouco mais de uma hora. O ex-prefeito afirma que o mesmo antes era conseguido em seis meses, e é isso o que ele deseja para o Rio de Janeiro: facilidade de desenvolvimento.

“O Rio de Janeiro é a referência do Brasil no mundo. O dever de casa para um novo governador não é apenas a elaboração de um Plano Estratégico para o período eleitoral, mas sim visar às próximas gerações que necessitam, urgentemente, de um novo cenário para o estado”, diz.

Para ele, é necessidade aproveitar a grande visibilidade e a importância que  o Estado do Rio representa para o país, verificando as qualidades existentes, integrando e qualificando os  potenciais de todos os municípios.

Questionado sobre o potencial de Nova Friburgo, Rodrigo disse que a cidade é a de maior destaque nos polos indústriais (metal-mecânico), turístico, além do vestuário, e que desenvolver essas qualidades é pensar no desenvolvimento da cidade e do Estado do Rio.

“A esperança é despertada com diagnósticos dos problemas e com a elaboração e execução de soluções para o estado durante a governança.” Ouvir a sociedade como está acontencendo em Nova Friburgo, usar exemplos de sucessos como os mandatos em Niterói,  como o programa de saúde, é pensar e trabalhar em propostas credíveis para a melhoria do Estado do Rio de Janeiro que queremos.

Quatro eixos para ele são essenciais para o Estado do Rio: a retomada da economia, educação,  saúde e segurança. Somente olhando para esses pontos que o Estado do Rio de Janeiro voltará a prosperar, afirma.

(fonte: A Voz da Serra)

Leia também entrevista de Rodrigo ao jornal “Terceira Via”