Rodrigo Neves mostra Trabalhismo como opção ao capitalismo selvagem

No seminário “Trabalhismo é a Saída”, ex-prefeito de Niterói apontou  soluções para  desemprego e da informalidade

“O pensamento do capitalismo selvagem prioriza o rentismo em detrimento das pequenas empresas”, disse o ex-prefeito de Niterói (RJ) Rodrigo Neves ao liderar o debate virtual, nesta segunda-feira (31) sobre a relevância do “apoio ao micro e pequeno empresário e ao trabalhador informal”. O painel integra o seminário “O Trabalhismo é a saída: respostas para a crise brasileira”, da Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini (FLB-AP) do Rio de Janeiro.

Com o secretário de Desenvolvimento Econômico de Fortaleza (CE), Rodrigo Nogueira, e o representante do Instituto da Brasilidade, Felipe Batista, o pedetista Rodrigo Neves relatou as ações que implementou, entre 2013 e 2020, na cidade com o mais elevado Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) do Rio de Janeiro.

“Nós entendemos o papel dos pequenos e microempreendedores para a resiliência da cidade. Por isso, promovemos incentivos para estimular e desburocratizar o desenvolvimento”, relatou, ao citar a recente legislação criada e os programas “Empresa Cidadã” e “Niterói Supera”, que fornecem suporte financeiro para manutenção dos empregos.

“Hoje, em menos de duas horas, o empresário consegue seu alvará de funcionamento. Isso representou a formalização e viabilização de 50 mil pequenos negócios. É a visão indutora do desenvolvimento”, completou, exaltando o legado acumulado pelas gestões trabalhistas, nas últimas três décadas, e mantido com o atual prefeito, Axel Grael, bem como a perspectiva positiva com a possível eleição do presidenciável Ciro Gomes.

Perspectivas

“A gente tem um grande desafio: dar esperança para essa população que está cansada de tanta notícia ruim, principalmente tendo um presidente como o Bolsonaro”, comentou Rodrigo Nogueira, indicando o progresso do emprego e  da renda na capital cearense, em contraposição ao cenário gerado pelo governo federal.

A partir da continuidade das bases pedetistas entre as gestões do ex-prefeito Roberto Cláudio e do atual prefeito, José Sarto, o secretário mencionou ainda a assinatura de parcerias com o Sebrae e Senai para a qualificação de cerca de 40 mil pessoas. Em conjunto, também exaltou projetos municipais para estimular a criação de novos negócios para trabalhadores na informalidade.

Diante do contexto apresentado, Felipe Batista ratificou que o impacto da desigualdade social e da estagnação econômica é percebido, principalmente, nos índices de desemprego, que acumula os maiores patamares da história.

“Precisamos aumentar o rendimento da força de trabalho e a produtividade da indústria nacional. Para isso, precisamos de um Estado atuante e alguns setores são chaves, como energia, transporte, comunicação e saneamento básico.”

Para isso, defende o Projeto Nacional de Desenvolvimento, que é fomentado por Ciro, desde 2018, e estimula a promoção da justiça social como um dos objetos centrais.

“A política econômica do Estado precisa ter como foco a industrialização e a distribuição de renda. […] Produzir mais e distribuir mais. É o grande desafio”, explicou, reforçando que o “capital produtivo deve ser mais valorizado do que o capital financeiro”.

Programação

O penúltimo painel, no dia 7 de junho, às 20h, abordará a “reindustrialização dentro das perspectivas de desenvolvimento” progressista ao longo dos próximos anos. A pauta será exposta pelo presidente do Instituto da Brasilidade, Darc Costa, em parceria com o diretor-executivo da Fundação Coordenação de Projetos, Pesquisas e Estudos Tecnológicos (COPPETEC), Fernando Peregrino, e a professora da UERJ Christiane Laidler.

No encerramento, o presidente nacional do partido, Lupi receberá o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) e o economista Eduardo Moreira para fomentar análises em busca da “construção da unidade popular”. O encontro ocorrerá no dia 14 de junho, às 20h.

(Por Bruno Ribeiro)

Cadastro

O seminário continua com inscrições abertas através de um canal exclusivo. Para garantir uma vaga, clique aqui.