PDT-RJ elege novo Diretório Regional e reforça bases para projetar Ciro no estado

Lupi destacou o potencial competitivo da sigla brizolista nas disputas do executivo e legislativo

*Por Bruno Ribeiro / PDT-RJ

Ao promover, nesta segunda-feira (26), a convenção estadual para eleger o novo diretório, o PDT do Rio de Janeiro ratificou ações prioritárias: atrair e formar novos quadros, estruturar candidaturas locais e, com isso, garantir um palanque fortalecido para Ciro Gomes em 2022. Realizado na sede nacional da Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini, no Centro da capital, o evento foi conduzido pelo presidente nacional e estadual do PDT, Carlos Lupi.

Com a presença de lideranças regionais, de movimentos, do executivo e legislativo, incluindo o prefeito de Cabo Frio, José Bonifácio, o deputado federal Chico D’Angelo e a deputada estadual Martha Rocha, a convenção, realizada no formato híbrido (presencial e virtual), definiu, além do diretório, os membros da executiva e dos conselhos fiscal e de ética até 2023. Além das lideranças presentes na sede da fundação, na Praça Tiradentes, no Centro do Rio, participaram da Convenção à distância, pela internet,  cerca de 90 pessoas.

Segundo Lupi, é um processo de fortalecimento com quadros cada vez mais qualificados e alinhados às diretrizes do partido. Para isso, fomenta-se o desenvolvimento contínuo e um diálogo cada vez mais atual e próximo ao cidadão.

“O Trabalhismo continuará sendo a resistência contra esse desgoverno Bolsonaro. Nós vamos enfrentá-lo e vencê-lo no voto. Não nos calarão. Não podemos aceitar que a população seja obrigada a escolher entre morrer de fome ou de covid”, garantiu, ao prestar homenagem às vítimas da Covid-19.

“Venha para o PDT com o sentimento de rebeldia para lutar pelo povo. O partido é a resistência. Somos humanistas. E Ciro está representando o legado de trabalhistas como Leonel Brizola e Getúlio Vargas”, acrescentou, ao citar o lançamento da nova campanha nacional de comunicação do partido e o processo de reestruturação da Fundação no Rio, a partir de uma diretoria baseada em jovens.

Integração

José Bonifácio mencionou o comprometimento dos governos pedetistas com as causas populares e a sua atuação para revigorar Cabo Frio.

“O objetivo maior é trazer o país para um novo rumo. O PDT é o partido que acolhe os desassistidos, como fez Brizola e Vargas”, comentou, ao anunciar a municipalização do CIEP para retomada do ensino integral e o avanço para compra de vacinas contra o coronavírus.

Para Martha Rocha, a sigla enfrentará um “grande desafio” no momento determinante não só para o Rio, mas também para o Brasil.

“Só tem uma maneira de reverenciar o povo: é levar o Ciro à presidência. Esse deve ser o compromisso maior da nossa executiva e de todo militante do PDT. O segundo é construir uma nominata para fortalecer, cada vez mais, os ideais trabalhistas”, relatou.

Diante da simbologia dos líderes trabalhistas nas paredes do auditório, o ex-deputado federal Brizola Neto exaltou a atuação combativa do partido.

“É uma satisfação ver o nosso PDT grande e protagonizando a cena nacional a partir da coerência história construída por Brizola, Vargas, Darcy, Jango e Pasqualini”, destacou.

“O Brasil está vivendo o pior momento. Bolsonaro leva o país na contramão. Ele retira direitos durante o período de maior índice de desemprego já registrado. Por isso, precisamos mudar o país para tirá-lo da presidência da República e propor um novo caminho a partir do Projeto Nacional de Desenvolvimento de Ciro Gomes. É retomar o caminho de Vargas”, completou.

Dando destaque à atuação da bancada pedetista no Congresso Nacional, Chico D’Angelo condenou a “irresponsabilidade federal no combate a pandemia” e projetou um novo cenário fluminense com Rodrigo Neves, ex-prefeito de Niterói, na disputa do governo e dando suporte a Ciro.

“Como médico, a gente vê com muita tristeza o Brasil ser o país mais desmoralizado do mundo. O governo é uma verdadeira irresponsabilidade. Levou a população a quase 400 mil óbitos em função da condução inconsequente do Bolsonaro”, criticou.

Líder do governo do prefeito Axel Grael em Niterói, o vereador Binho Guimarães citou as conquistas das gestões pedetistas e o potencial das futuras candidaturas.

“Esse diretório vai ter a missão de eleger a maior bancada de estaduais e federais da sua história”, disse, ao acrescentar: “É a chance de levar o nosso projeto de educação, desenvolvimento social e progresso econômico para todo o estado. Nós temos projeto. Vamos levar o PDT de volta ao Palácio Guanabara.”