PDT perde a companheira Lucia Lopes aos 65 anos, líder do movimento dos ambulantes na capital, vítima de Covid-19

Brizolista da primeira hora, uma das líderes do movimento dos ambulantes da Cidade do Rio de Janeiro por melhores condições de trabalho há vários anos, morreu nesta terça-feira (24/11), vítima de Covid-19, a companheira Lúcia Lopes que este ano, pela terceira, disputou sem sucesso uma vaga de vereadora na Câmara Municipal da capital. Lúcia, 65 anos, militantes histórica do PDT em todas as campanhas desde a sua fundação, estava internada devido a complicações da doença.

Combativa e presente, a pedetista acumulou, ao longo de décadas, um legado de defesa das causas populares, com destaque para a proteção e valorização dos comerciantes informais. O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, um dos muitos amigos que Lúcia soube fazer e cultivar ao longo de sua vida, lamentou a morte da companheira.

“Ela seguirá viva na lembrança de todos nós”, assinalou Lupi. Recentemente, há sete meses, Lúcia Lopes perdeu um irmão para a Covid. Lúcia se internou há oito dias atrás no Hospital Ronaldo Gazolla devido as complicações causadas pela Covid e faleceu hoje. Ela deixou duas filhas, Alícia e Helena, quatro netos e dois bisnetos.