PDT e Movimento de Educação querem que UERJ se fortaleça

“A UERJ foi a primeira a adotar sistema de cotas no Brasil”, destaca a nota

O presidente do PDT municipal, Augusto Ribeiro, divulgou nesta sexta-feira (28/5) nota conjunta de repúdio assinada pelo Movimento de Educação do PDT da Cidade do Rio de Janeiro e pelo Diretório Municipal, em defesa da UERJ.

A nota afirma:

“A UERJ – Universidade do Estado do Rio de Janeiro – foi a primeira instituição acadêmica no Brasil a adotar um sistema de cotas, que já reservava vagas para estudantes de escolas públicas fluminenses, negros e pardos. Depois dessa experiência inclusiva bem-sucedida, diversas universidades reproduziram esse modelo e, Brasil afora, surgiram atos normativos que versam sobre medidas similares.  Além disso, vale lembrar que a UERJ é considerada a 9° melhor universidade do Brasil e uma das 60 melhores do mundo.

“Mesmo com o sucateamento promovido pelo desgoverno de Pezão, entre 2015 a 2019, a comunidade acadêmica da UERJ resistiu e conquistou a emenda constitucional 47, que prevê o repasse de duodécimos às universidades estaduais.

“Em contraponto à brilhante história da UERJ, o deputado estadual Anderson Moraes apresentou um “projeto de lei” que dispõe sobre a extinção da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e a transferência da oferta de vagas de ensino superior às instituições privadas. Em sua patética justificativa, Moraes argumenta que a UERJ tem um “nítido aparelhamento ideológico com viés socialista”.

“Uma das características do fascismo é a perseguição às Ciências e aos cientistas. Anderson Moraes (PSL), cuja foto de perfil no Facebook aponta uma aproximação com o atual presidente da República, reforça essa construção de uma narrativa fascista ao tentar desconstruir a principal universidade deste Estado.

“Embora o presidente da Alerj – Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, o deputado André Ceciliano (PT), tenha dito a veículos de Imprensa que o referido “projeto legislativo” seja inconstitucional e que não o porá em pauta, o PDT não se furtará em repudiar esta matéria legislativa, que é extremamente deletéria e está na contramão dos anseios da comunidade acadêmica e dos princípio de nosso partido.

“Por fim, pedimos que todos os deputados estaduais comprometidos com a Educação Superior pública rechacem esse “projeto de lei”, pois, nós, do PDT de Darcy Ribeiro, de Leonel Brizola e de tantos outros engajados por uma Educação de qualidade, defendemos e sempre defenderemos a manutenção da UERJ e sua autonomia funcional”.