PDT homenageia Beth Carvalho e Darcy Ribeiro em ato cultural pela democracia

Por Ascom FLB-AP/RJ – Fábio Pequeno
29/05/2018

Poesia, música, dança, palavras de ordem e uma bela homenagem à madrinha do samba, Beth Carvalho, marcaram o “Ato Cultural pela defesa da democracia, uma homenagem à Darcy Ribeiro”, realizado na noite dessa segunda-feira (29), no teatro Dulcina, localizado na Cinelândia, no Rio de Janeiro. Organizado pelo Movimento Cultural Darcy Ribeiro (MCDR), o evento teve como objetivo ser um protesto em defesa da democracia.

Além de Beth Carvalho, o ato reuniu vários artistas e foi prestigiado pelo presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, pelo secretário-geral nacional do partido, Manoel Dias, pelo presidente nacional do MCDR, Roberto Viana Júnior, e pela presidente da estadual da Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini do Amapá, Joelma Santos, entre outras lideranças pedetistas.

Um curta metragem inspirado no livro “O Povo Brasileiro”, de Darcy Ribeiro, que mostra a formação e trajetória da sociedade brasileira, abriu o evento. O primeiro artista, do Rio Grande do Sul, apresentou a poesia “O sonhar com a liberdade”, de sua autoria, relembrando Brizola, Darcy, João Goulart e correlacionou com a  campanha de Ciro Gomes. O segundo, do nordeste, trouxe versos no repetente, com o vocabulário típico da região do sertão, no qual criticou a política, os políticos e seus costumes, também relacionando ao presidenciável.

Após apresentação de “O tempo não para” de Cazuza, no qual foram inseridas as palavras de ordem “Fora Temer”, “Lula Livre” e “Marielle Presente”, Lupi, Roberto Viana Júnior e Manoel Dias homenagearam a madrinha do samba, Beth Carvalho, pelo seu histórico de luta pela democracia e direitos para a classe trabalhadora e sua contribuição na música popular, com uma placa e medalha do MCDR.

“Companheiros, pra gente é um dia muito especial, porque a história do Brasil e do PDT, na qual eu tenho abertura de dirigir, deve muito a essa mulher [Beth Carvalho]. Deve pela coragem de desbravar fronteiras. Deve por amar profundamente a música popular e o samba brasileiro. Deve por abrir espaço pra cultura popular”, elogiou Lupi.

“Beth é um símbolo pra gente, um símbolo do Brasil que ainda pode dar certo, um símbolo de que diz ‘não’ quando é mais fácil dizer ‘sim’, essa singela homenagem é pra dizer que a gente te ama e que você é o símbolo do Brasil que nunca desiste”, afimrou Carlos Lupi.

Emocionada, Beth Carvalho agradeceu a toda direção do PDT pelo prêmio, que prometeu guardar com muito carinho, principalmente por se tratar de uma homenagem em nome de seu grande e querido amigo Darcy Ribeiro, que, reveleou ela, foi seu meu vizinho por muitos anos.

“Eu tenho uma casa em Maricá. Um dia me aparece uma figura na porta da varanda batendo palmas e quando fui ver, era o Darcy, perguntando pra mim o que achava daquele lugar. Eu disse que adorava Maricá, que era um lugar maravilhoso,e ele acabou ficando e virou meu vizinho, a um quarteirão de distância”, relembrou  a cantora.

“Passei a ir a Maricá mais por causa de Darcy, que era uma figura maravilhosa. Ria muito com ele e que faz falta até hoje tanto ele como de Leonel Moura Brizola. É muita falta que esse homem faz. Muito obrigado a todos por essa noite maravilhosa. Quero dizer que Darcy mora no meu coração”, conclui Beth Carvalho.

Outro grande destaque do evento foi a leitura de um pensamento de Darcy, em que os atores  André Gaetta e Solange Theodoro convocaram o público a bradar a última e mais emblemática frase “Eu detestaria estar no lugar daqueles me venceram”, que prontamente foi atendida, criando uma atmosfera única.

O evento foi finalizado com Beth Carvalho catando sua emblemática música de sua autoria “Vou Festejar”.