A Executiva Nacional do PDT, reunida esta manhã (21/10) na sede do partido em Brasília, em conjunto com as bancadas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, após deliberar sobre a crise política divulgou nota ressaltando que o momento político exige “a defesa intransigente do estado democrático de direito” e também “o respeito ao resultado das eleições presidenciais de 2014 onde mais de 53 milhões de brasileiros conferiram à presidente Dilma Rousseff o mandato presidencial”.

A direção nacional do partido ressaltou também que “O PDT não compactua e não apoia qualquer possibilidade de impeachment que não esteja dentro das regras constitucionais estabelecidas no Brasil”. Os dirigentes do PDT destacaram ainda que “diante da comprovada quebra do decoro parlamentar”, o partido quer o imediato afastamento do atual presidente da Câmara dos Deputados”, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

“O que vemos de verdade é uma associação de ondas negativas. Para sair disso, temos que fazer que nem marinheiro na hora da tempestade: desligar o motor, porque não sabe para onde o vento esta levando. A gente quer dar uma tranquilizada, pensar mais no Brasil do que em nós, do que em nossos partidos. Temos que encontrar uma saída para que o Brasil consiga se erguer nesse momento grave de crise”, avaliou o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, lamentando que a oposição trabalha para que nada dê certo.

“Ao invés dessa postura, é preciso ajudar o Brasil e denunciar quando se achar algo grave”, acrescentou Lupi.

 

Leia a íntegra da nota do PDT

A Executiva Nacional do PDT, reunida nesta quarta-feira (21/10) em Brasília, em conjunto com suas bancadas na Câmara e Senado, deliberou sobre os seguintes assuntos:

– A defesa intransigente do Estado Democrático de Direito, respeitando desta forma o resultado das eleições presidenciais de 2014, onde mais de 53 milhões de brasileiros conferiram à Presidenta Dilma Roussef o mandato presidencial. O PDT não compactua e não apóia qualquer possibilidade de impeachment, que não esteja dentro das regras constitucionais estabelecidas no Brasil;

– O afastamento imediato do atual Presidente da Câmara dos Deputados, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), diante da comprovada quebra do Decoro Parlamentar, comprovada através de vários documentos denunciados pelo Ministério Público. Através destes fatos, afirmamos que o deputado perdeu as condições políticas de se manter à frente da presidência da Câmara Federal, e deve afastar-se das suas funções. Defendemos, por coerência partidária e constitucional, o amplo direito de defesa do deputado em todas as esferas competentes.

 

Carlos Lupi

Presidente da Executiva Nacional

Deputado Afonso Motta

Líder da bancada na Câmara

Acir Gurgacz

Líder da Bancada no Senado