PDT de Niterói perde uma de suas mais dedicadas integrantes, Dona Luiza do Morro do Ingá, aos 89 anos

Dona Luiza Mendonça, fundadora e ex-presidente da Associação dos Moradores do Morro do Ingá, de 89 anos, faleceu na manhã desta sexta-feira (04/12) em casa quando regava as plantas do jardim de sua casa. Brizolista da 1ª. hora, dona de um largo sorriso e sempre de bem com a vida, Dona Luiza costumava dizer brincando que nunca mais lavara o rosto desde Fidel Castro a beijara no dia 30 de junho de 1990 quando o recebeu na comunidade  acompanhado do então prefeito Jorge Roberto Silveira (PDT) para a inauguração do primeiro módulo do Médico de Família instalado em Niterói.

Tão logo chegou no Morro do Ingá, Fidel beijou dona Luiza dizendo que era ela e não ele, quem deveria inaugurar o módulo. O jornalista Vinicius Martins, amigo de Dona Luiza, escreveu em sua página pessoal do Facebook: “Dona Luiza faleceu molhando o jardim da casa, como aquele passarinho de estimação’. O Médico de Família foi estendido aos bairros de Niterói, posteriormente levado para municípios do interior do Estado, quando Jorge Roberto Silveira se tornou secretário especial no 2° governo de Brizola; e, finalmente, copiado pelo Ministério da Saúde e implantado em todo o país.

Em 1990 uma epidemia de dengue e o aumento da incidência de casos de Meningite assolaram as condições de saúde pública de Niterói. Isso fez com que o então prefeito Jorge Roberto Silveira fosse a Cuba conhecer o Programa Médico de Família, que pouco depois foi implementado na cidade e serviu de exemplo para o país.

Brincando ela dizia: “Depois do beijo do Fidel, não lavo mais o rosto”

À frente da comunidade, Dona Luiza liderou várias lutas e graças ao seu empenho e dos moradores do Morro do Palácio, conseguiu água tratada e encanada logo no início da implantação do projeto “As águas vão rolar”, um dos primeiros a ser implementado pelo governador Brizola assim que assumiu o governo fluminense em 1982.

Sobre ela, Vinicius Martins, jornalista e amigo de Dona Luiza, escreveu: “Brizolista ferrenha, pedetista histórica, mulher de luta e de fibra; no Morro do Palácio, dona Luiza colocou água, asfaltou ruas, fez urbanização de vielas, montou creche e instalou o Médico de Família, cuja inauguração contou com a presença de Fidel, que, apresentado a ela por Jorge Roberto Silveira, lhe tascou um beijo e disse que ela que deveria inaugurar o módulo e não ele. Sábio Fidel”. E finalizou: “A vida é para ser vivida intensamente e Dona Luiza aproveitou todos os 89 anos que lhe foram reservados. Faleceu molhando o jardim da casa, como aquele passarinho de estimação, que vai pro canto da gaiola e deixa de cantar. Virou estrela e já está lá, recebida por Santa Barbara, com aquele sorrisão cativante. Muita luz pra Dona Luiza”.

Miguel Vitoriano, da direção do PDT de Niterói, escreveu por sua vez: “Metade da sua vida dedicada ao PDT de Brizola e Jorge Roberto Silveira. Militante aguerrida, foi presidente da Associação de Moradores do Morro do Palácio, tendo lutado bastante para a implantação do Modulo do Medico de Familia, logo no seu início. Atuou bravamente na defesa dos direitos da mulher junto com A companheira Marlene Barroso e tantas outras. O PDT perde uma grande companheira  para Aquele que é onipresente, onipotente e onisciente. Vai com Deus, amiga!”.

Outro amigo, Didimo, escreveu sobre ela: Dona Luiza, a senhora nos deixa tristes e com muitas saudades (…)  infelizmente esta é a realidade da vida. Que Jesus a tenha nos seus braços. Um triste adeus fica em meu coração. Vai com Deus minha querida!”