PDT perde por Covid – 19 o vereador Carlos Roberto Boechat recém eleito para o mandato em Niterói

‘Boechat foi companheiro que após muita luta se elegeu, mas nessa vida injusta, parte sem assumir o mandato’ (Lupi)

O prefeito eleito de Niterói, Axel Grael, o prefeito Rodrigo Neves e o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, foram algumas das pessoas que lamentaram ontem (12/1) a tarde a morte do vereador eleito de Niterói, Carlos Roberto Boechat, por Covid, depois de uma luta pela vida que travou no hospital Santa Martha, em Niterói, desde o dia 19 de novembro último – quando se internou por pneumonia. Reagindo bem ao tratamento inicial, Boechat estava esperançoso de vencer a batalha, mas a doença avançou – apesar do esforço dos médicos – e ele não resistiu – morreu ontem depois de 23 dias de luta, aos 70 anos.

Engenheiro da prefeitura há 48 anos, Boechat, como secretário da Região Oceânica, teve papel fundamental na construção da via Transoceânica e do túnel Charitas-Cafubá, agilizando desapropriações ao longo da via – entre outros projetos do prefeito Rodrigo Neves e de Axel Grael que ajudou a tocar.

Dalton Boechat e Alexandre Boecht, irmãos de Carlos Roberto e do jornalista Ricardo Boechat, falecido ano passado em São Paulo em um desastre de helicóptero, manifestaram grande preocupação com a saúde da mãe deles, Mercedes Boechat, com a perda de seu filho mais velho: “Minha mãe está destroçada pela perda de mais um filho”, destacou Dalton.   Boechat deixa  além da mãe, dona Mercedes Carrascal Boechat, e dois irmãos;  deixa a mulher Patrícia, quatro filhos e netos.

Sobre sua morte, o prefeito eleito de Niterói, Axel Grael, disse: “Boechat foi um grande ser humano, dono de uma alegria ímpar; pessoa pública de grande importância para Niterói que trabalhou muito por nossa cidade. Vá em paz, meu amigo. Vai fazer muita falta por aqui”. O Vice-prefeito eleito de Niterói e presidente da Câmara Municipal, o vereador Paulo Bagueira também se manifestou: “Muito triste com o falecimento do companheiro Boechat, ocorrido no início da tarde deste sábado, vítima desta terrível doença que é a covid-19. Boechat acabou de conquistar o seu mandato de vereador, que tanto lutou e almejou, com muito empenho e determinação”, lamentou.

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, também lamentou a morte do engenheiro, que tinha orgulho em dizer que trabalhava na prefeitura há 48 anos, logo depois de se formar pela Universidade Federal Fluminense:

“O querido e leal amigo, vereador eleito do PDT, Carlos Boechat, niteroiense apaixonado por nossa cidade, engenheiro que trabalhou tanto ao meu lado para tirar o túnel Charitas-Cafuba do papel , lutou bravamente contra o COVID-19, mas infelizmente faleceu ainda ha pouco. Uma dor e tristeza imensas no coração pela partida desse amigo incansável, íntegro, que transmitia sempre energias positivas a todos! Que Deus o acolha no reencontro com seu irmão e conforte os corações de sua esposa Patrícia, filhos, netos, Dona Mercedes e amigos. Boechat presente!”, finalizou.

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, afirmou por sua vez:  “Carlos Roberto Boechat foi um exemplar companheiro que, depois de muita luta, se elegeu vereador, e, nessa vida injusta, parte sem assumir o mandato.  Que Jesus Cristo o receba e o consagre”,  disse Carlos Lupi.

Boechat também participou, como secretário da Regiâo Oceânica, das obras de reurbanização do canto esquerdo da Praia de Itaipu

A Prefeitura de Niterói também lamentou a morte de Boechat, por meio de nota. “A Prefeitura de Niterói lamenta com pesar a perda, neste sábado (12), de Carlos Roberto Boechat, vereador eleito, ex-administrador regional da Região Oceânica e engenheiro da prefeitura de Niterói”, diz o comunicado.

Carlos Roberto Boechat, 70 anos, conhecido como Boechat, foi eleito vereador de Niterói no ano de 2020, pelo partido PDT, com 2.916 votos. O engenheiro, nascido no Uruguai, como ele mesmo se descrevia, apaixonado por animais e pela natureza. Sua trajetória profissional se confunde com a história das grandes obras de infraestrutura e desenvolvimento da cidade de Niterói. Sempre com muito amor e dedicação à Niterói, ele contribuiu em diversas áreas, e em vários órgãos e entidades públicos.

Trabalhou na Superintendência de Limpeza Urbana de Niterói (atual CLIN). Como engenheiro civil, atuou em diversas obras de infraestrutura na cidade, entre elas Alargamento da Estrada Francisco da Cruz Nunes (parte que dá acesso à Região Oceânica), a construção da Estrada Manoel Pacheco de Carvalho (Estrada Velha), a abertura do túnel Raul Veiga (que liga São Francisco à Icaraí), o alargamento das praias de São Francisco e de Charitas e das ligações do Sapê, Caramujo e Ititioca. Foi o responsável pelo posto do Detran de Niterói (2008 a 2012) e, de 2013 a 2020.

Na gestão do prefeito Rodrigo Neves atuou como administrador regional da Região Oceânica, em grandes projetos, tais como: CISP (Centro Integrado de Segurança Pública), e principalmente a construção da Transoceânica e do Túnel Charitas-Cafubá, além das obras de macrodrenagem e urbanização que foram realizadas nos bairros de Fazendinha, Cafubá, Bairro Peixoto, Boavista e da Av. Romanda Gonçalves. E também nas que estão em andamento no Santo Antônio, Serra Grande e Maravista e as que estão sendo licitadas no Engenho do Mato.

Também ajudou na preparação dos projetos para drenagem e urbanização do Campo Belo, Itaipu, Jardim Imbuí, Maralegre e Maravista II;  parte do programa Região Oceânica Sustentável, que incluiu projetos como a revitalização do Canto de Itaipu, o Parque Orla Piratininga (POP), urbanização da Estrada Frei Orlando e renaturalização do Rio Jacaré.

Carlos Boechat era irmão do jornalista Ricardo Boechat, que morreu aos 66 anos no dia 19 de fevereiro de 2019 após a queda do helicóptero em que estava, na Rodovia Anhanguera, em São Paulo, que na época trabalhava como apresentador do Jornal da Band, na tevê; e pela manhã como comentarista da rádio BandNews FM, além de volunista da ISTOÉ.

(B.R. e O.M. com informações do G1, Plantão em Foco e jornal “A Tribuna”)