‘Legalidade foi passagem épica’, define Lupi sobre rebelião liderada por Brizola

Campanha liderada por Leonel Brizola garantiu a posse do vice-presidente da República, João Goulart

*Por Bruno Ribeiro / PDT-RJ

“Em 1961, uma passagem épica, histórica, da sociedade brasileira”, classificou o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, ao relembrar nesta quarta-feira (25), em vídeo nas redes sociais, a campanha liderada pelo então governador do Rio Grande do Sul, Leonel Brizola, para garantir a posse do vice-presidente da República, João Goulart.

O movimento cívico-militar de resistência à tentativa de golpe das Forças Armadas teve como ponto central o Palácio Piratini, sede do governo gaúcho localizado em Porto Alegre (RS), e contou com o apoio maciço da população não só gaúcha, mas de todo o país.

Lupi destacou que, por meio do rádio, Brizola – fundador e presidente de honra do PDT – colocou dezenas de estações em cadeia e fez uma mobilização nacional, que saiu vitoriosa há 60 anos.

“A marca da República brasileira de, pela única e primeira vez, a sociedade civil organizada resistiu à ameaça de um golpe. Brizola fez um levante popular criando a rede da Legalidade”, explicou.

“Nos porões do Palácio, ele fez uma transmissão de rádio que atingiu todo o Brasil. Pregou a posse do presidente João Goulart, que era vice do presidente Jânio Quadros. […] Tinham grupos mais à direita, principalmente militares, que queriam impedir a posse”, acrescentou.

Para mais detalhes sobre a Legalidade, confira a cartilha especial produzida pelo Centro de Memória Trabalhista (CMT).