No Rio, PDT de Portas Abertas lança modelo inovador de acolhimento de novos filiados

Fábio Pequeno
03/12/2018

No último sábado (1), aconteceu a primeira edição do “PDT de Portas Abertas” na Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini (FLB-AP). O evento foi prestigiado pelo presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, e pela deputada estadual reeleita Martha Rocha, dentre outros convidados.  A iniciativa da Juventude Socialista (JS) e da FLB/Rio de Janeiro tem como objetivo apresentar a ideologia do partido aos que pensam em se filiar e aos já filiados que ainda não participam ativamente.

Na ocasião, foi presentado um filme sobre a história da Consolidação das Leis Trabalhista (CLT), produzido pela Fundação. Na sequência, foram debatidos temas: momento político atual, eleições municipais de 2020, a candidatura de Ciro Gomes para presidente em 2022 e o projeto PDT Digital (plataforma digital em desenvolvimento) que tem como objetivo democratizar as informações e a interação com os filiados de todo Brasil.

A deputada Martha Rocha fez uma reflexão sobre a conjuntura atual do País e a insatisfação popular com os políticos, citando o “Pacote de Maldade” (medidas governamentais que atacaram diretamente os direitos dos mais pobres.

“Gostaria de lembrar aqui os ensinamentos de Ciro Gomes: somos 14 milhões de desempregados, no ano de 2016 mais de 13 mil indústrias fecharam no Brasil, somos 63 milhões de pessoas com o nome sujo no SPC [Serviço de Proteção ao Crédito]. Precisamos lembrar que há necessidade de criar um projeto nacionalista que tire esse país deste estado e transforme em Nação. Para que isso aconteça passa por uma educação de qualidade e valorização da classe trabalhadora”.

Já o presidente Lupi, explicou que existe uma necessidade de compreender a formação da sociedade brasileira e suas contradições.

“Se tem alguma coisa em crise é a sociedade. A política nada mais é do que o reflexo da sociedade e temos que assumir isso. Sabendo disso, nós temos que criar oportunidade igual para todos. Quando todos tiverem oportunidade de estudar, de se alimentar, de acesso à saúde pública de qualidade, aí sim vamos construir uma sociedade mais justa e que sonhamos. Esse é o nosso papel enquanto partido”, disse o presidente, que terminou convocando todos a criarem novos eventos.

“Nós temos que começar a construir o futuro e seremos o primeiro partido da era digital, nós temos que sair da era analógica. Chega! Nós temos que ser digital. Estou aqui com vocês, mas tem gente lá no Amapá que vai poder comunicar e interagir. Nós temos que construir o PDT para 2020 e 2022 e, para isso, precisamos de vocês. Nós, enquanto partido, vamos abrir as estradas, mas quem tem que ter o combustível para andar na estrada são vocês”.