Movimentos sociais estarão nas ruas nesta quinta 3/10 a partir das 11h em defesa da Educação e da Petrobrás

Nesta quinta-feira,  3 de outubro, dia da fundação da Petrobrás criada por Getúlio Vargas através da Lei 2004/53, haverá uma grande manifestação de rua no Centro da cidade em defesa da empresa e da educação brasileira puxada por sindicatos, movimento sociais e entidades estudantis. Também está programado ato público com a presença de lideranças nacionais contrárias as anunciadas privatizações do governo Bolsonaro e, ainda, em defesa da Petrobrás – uma das maiores empresas integradas de energia do mundo – que está sendo destruída pela sua atual direção.

 

Haverá uma concentração a partir das  11 horas, na região da Candelária, na Avenida Presidente Vargas com a Rio Branco, em frente ao prédio da Eletrobrás – uma das 17 empresas que o atual governo pretende privatizar, juntamente com o Serpro, a Datamec, a Casa da Moeda, etc. E de lá os manifestantes caminharão pela Avenida Rio Branco até a sede da Petrobrás, na Avenida Chile – onde está previsto um grande ato público com a presença de lideranças nacionais.

Além das 17 empresas a serem privatizadas, a própria Petrobrás está sendo esquartejada e vendida em pedaços, como já fizeram com a maior rede de postos do país, a BR Distribuidora; e a rede de gasodutos do Sudeste, um monopólio natural. Iniciativa da atual direção da empresa que dará prejuízos bilionários à  Petrobrás – que deixou de ser dona dos gasodutos para  pagar “aluguel” pelo seu uso – um absurdo.