Morre, no Rio, Arnaldo Mourthé

Ascom PDT
28/11/2018

É com grande pesar que a Direção Nacional do PDT comunica o falecimento do companheiro Arnaldo Mourthé, na noite da última terça-feira. O velório será nesta quarta (28/11) das 14hs às 17hs no Memorial do Carmo, no Rio de Janeiro, onde será cremado.

Mineiro de Curvelo, Mourthé se formou pela UFMG em 1961, e começou muito cedo sua militância política. Ainda estudante, foi vice-presidente da União Nacional de Estudantes no período de 1959/1960, quando também de ligou ao grupo de esquerda Política Operária, do qual foi um dos dirigentes. Com o golpe militar de 1964, foi preso e torturado. Obrigado a deixar o Brasil em 1969, exilou-se na Argélia, na Itália e em outros países, até voltar 10 anos depois e se filiar ao PDT, chegando a ser assessor especial de Leonel Brizola no governo do Rio de Janeiro e Secretário de Relações Internacionais do PDT. Vivendo há vários anos no Rio, Arnaldo Mourthé é autor, entre outros, de Um desafio chamado Brasil, lançado pela Editora Achiamé em 1987. Escreveu também Cuide-se, o capitalismo enlouqueceu e 2001–2010, renascimento no meio do caos, ambos pela Editora Revan; e ainda Defender a cidadania e reconstruir a nacionalidade ou sucumbir, de 2006.