Martha Rocha fiscaliza gastos com Covid-19 no Rio e denúncias envolvem Executivo

Comissão presidida pela deputada ampliou investigações contra desvios na Saúde  

Ao longo de 2020, a Saúde esteve em evidência, no Rio de Janeiro, em função da realidade imposta não só pela pandemia do coronavírus, mas também pelas irregularidades denunciadas por parlamentares. A partir de comissões de fiscalização da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) — presididas pela deputada Martha Rocha (PDT) —, uma série de desvios foram descobertos, o que gerou investigações, prisões e o afastamento do governador, Wilson Witzel.

Com pareceres, reuniões e audiências públicas, as comissões permanente e especial promoveram investigações sobre o governo do estado, a partir de dados e depoimentos, verificaram a execução de planos de contingência, bem como analisaram diversos projetos de lei que impactaram diretamente o dia a dia do cidadão.

Os dois grupos fizeram, complementarmente, um extenso relatório que contribuiu para a elucidação de um esquema dentro do alto escalão do governo, que culminou no prosseguimento do processo de impeachment do chefe do Executivo.

“O ano de 2020 foi especialmente mais delicado por conta da pandemia, que assola nosso país e o mundo. A Comissão de Saúde tentou contribuir com inúmeros debates, denúncias aos órgãos responsáveis e cobranças de ações mais efetivas”, declarou Martha Rocha.

“Todas as audiências públicas e reuniões contaram com a participação de órgãos técnicos governamentais e não governamentais. Foram colhidos depoimentos de secretários de Estado, presidentes de fundações, membros da Defensoria e do Ministério Público, além de representantes de classe e da sociedade civil organizada”, concluiu.

*Bruno Ribeiro com informações da ALERJ.