Manoel Dias, secretário-geral do PDT e presidente da Fundação Brizola – Pasqualini, define prioridades para 2021

Durante reunião com vices, o presidente valorizou evolução do planejamento estratégico da instituição

Intensificar a formação e o engajamento dos quadros do PDT, incluindo prefeitos e vereadores eleitos, para confirmar nossos diferenciais competitivos”, garantiu o presidente da Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini (FLB-AP), Manoel Dias, ao projetar a mobilização em torno do projeto trabalhista para disputa das eleições presidenciais, em 2022. O posicionamento ocorreu durante reunião virtual, nesta sexta-feira (4), com os vice-presidentes estaduais e lideranças.

Ao valorizar o desempenho pedetista no pleito municipal, com a vitória de 314 prefeitos e 3441 vereadores em todo o país, Dias exaltou as estratégias traçadas a partir do presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, e a responsabilidade da Fundação na solidificação dos avanços pelo campo popular.

“Temos uma missão fundamental: solidificar as bandeiras do Trabalhismo no coração e na mente de cada militante, com ou sem mandato. Com consciência, motivação e fidelização, vamos efetivar o Projeto Nacional de Desenvolvimento e garantir um futuro mais justo, igual e democrático para todos os brasileiros”, afirmou Dias, que também é secretário-geral nacional da sigla.

“Com a evolução do planejamento estratégico traçado, surgiram triunfos a partir da soma de esforços. Com esse foco, conseguiremos, em 2021, resultados ainda mais representativos”, completou.

Ao longo do encontro, organizado pelo secretário-executivo, Ades Oliveira, os setores da Fundação, incluindo o Centro de Memória Trabalhista (CMT), a Universidade Aberta Leonel Brizola (ULB), a Secretaria de Núcleos de Base, a Rádio Legalidade e a Central de Mídias Sociais, apresentaram suas propostas e projetos para expansão nos estados.

“Em parceria com os vices, diretórios e movimentos do PDT, buscamos alcançar o cidadão com projetos gratuitos e efetivos que buscam transformar a vida do povo, a partir da realidade de cada localidade”, concluiu Ades.