Manifestações contra Bolsonaro e a favor da vacina explodem por todo o Brasil

Em Curitiba, JS-PDT puxou os  protestos que continuam neste domingo em várias partes do país

Milhares de pessoas protestaram neste sábado nas principais capitais e cidades do país pelo atraso na campanha de vacinação contra a Covid-19 e pela destituição de Jair Bolsonaro da presidência da República por conta de sua má gestão diante da pandemia que já custou a vida de mais de 215 mil brasileiros. Os protestos devem continuar neste domingo (24/1).

As manifestações contra o governo Bolsonaro e a favor da vacinação aconteceram praticamente em todas as capitais e nas principais cidades do país, neste sábado, como registram entre outros meios de comunicação, a plataforma G1. As manifestações contaram com o apoio de movimentos sociais, partidos políticos, entidades sindicais e simples cidadãos.

Muitos dos manifestantes pediram o imediato impeachment de Jair Bolsonaro por conta de seu negacionismo e combate à vacina, carregando bandeiras de movimentos sociais, partidos políticos e entidades sindicais.   Na capital paulista, um grupo de manifestantes em carros se reuniu em frente à Assembleia Legislativa de São Paulo no início da tarde deste sábado (23) e por volta das 15h, partiram em direção à Praça Franklin Roosevelt pela Avenida 23 de Maio, uma das principais vias da cidade, posicionando-se a favor da vacinação contra a Covid-19 e contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

No Rio de Janeiro,  a carreata a favor da vacinação e pedindo o impeachment do presidente começou próximo ao Sambódromo da Marquês de Sapucaí e seguiu por várias vias da cidade. Bicicletas, motos e carros realizavam o trajeto seguindo um carro de som.  Por volta das 12h20, a manifestação seguia na altura da Central do Brasil. O congestionamento de veículos chegou a tomar quatro quilômetros de via.

A manifestação em Brasília, transmitida ao vivo pela TV Comunitária local, teve dois carros de som, e faixas pedindo o impeachment de Bolsonaro foram estendidas  em frente ao Congresso Nacional. O grupo se concentrou no estacionamento da Funarte, por volta das 9h30, e seguiu para a Esplanada dos Ministérios.  O ato foi pacífico, segundo a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), que acompanhou a manifestação. Os carros ocuparam duas vias da S1 do Eixo Monumental e se estendeu por toda a Esplanada.

Em Brasília o ato teve a participação de partidos políticos, movimentos populares e sindicatos. O grupo também pediu pela valorização do Sistema Único de Saúde (SUS) e dos profissionais de saúde que atuam na linha de frente durante a pandemia de Covid-19.

Em Varginha, em Minas Gerais, a carreata se concentrou na rodovia próxima

No Recife, capital pernambucana, manifestantes realizaram carreata acompanhada também por motos e bicicletas. Os integrantes do ato levavam cartazes e faixas com mensagens a favor da vacinação e pedindo a saída de Bolsonaro do cargo. Como nas demais cidades, o ato contra Bolsonaro foi convocado por partidos políticos, centrais sindicais e movimentos sociais.

Em Fortaleza, o protesto teve início na Praça Dragão do Mar, na Praia de Iracema, e saiu pelas ruas da cidade em forma de carreata. Manifestantes também fizeram passeio de bicicleta durante o protesto. Em faixas e cartazes exibidos pelos grupos, os manifestantes questionam frases ditas por Bolsonaro que põem em xeque a eficácia da vacina, já aprovada para uso emergencial em todo o país.

Já na capital paranaense, Curitiba o ato, que começou por volta das 16horas, teve concentração na Praça Nossa Senhora de Salete, no Centro Cívico, com os participantes exibindo aixas e cartazes nos carros com mensagens de “Fora Bolsonaro” e também contaram com o apoio de um carro de som.  A manifestação foi organizada pela Juventude do Partido Democrático Trabalhista (PDT) e ganhou apoio da União Paranaense dos Estudantes (UPE), Juventude do PCdoB e dos partidos de esquerda.

Em Florianópolis, o protesto começou na Avenida Beira-mar Norte. Um caminhão de som liderou a manifestação e os carros saíram por volta das 16h35. Os veículos seguiram para a parte continental da cidade via Ponte Colombo Salles. Durante o protesto, os motoristas buzinavam. A manifestação foi organizada por centrais sindicais e segundo a Polícia Militar, foi pacífica e sem qualquer incidente.  Os veículos não trancaram vias, mas a quantidade de carros influiu na mobilidade da cidade, conforme a PM.

Já em Porto Alegre, O ato, que começou por volta das 16h, teve concentração no Largo Zumbi dos Palmares. Não há um cálculo, no entanto, da quantidade de manifestantes. Os participantes levavam faixas e cartazes nos carros com mensagens de “Fora Bolsonaro”. O ato foi organizado por partidos políticos de oposição e centrais sindicais.

“Fora Bolsonaro” foi uma das mensagens mais usadas em todo o país

Em Belém, veículos foram reunidos na avenida Doca de Souza Franco, no centro da capital. O ato foi organizado por várias entidades e associações de classe que querem o afastamento de Bolsonaro do cargo e seguiu em carreata por várias ruas do centro de Belém até a Praça da República.

Em Salvador, uma carreata a favor do trabalho e do Auxílio Emergencial e pelo impeachment de Bolsonaro saiu da região do Vale do Canela, por volta das 10h30, com destino ao bairro de Itapuã, um trajeto de cerca de 25 quilômetros. Além dos carros, participou da carreata um trio-elétrico. Durante a manifestação, os participantes fizeram “buzinaços” e discursos em cima do trio.

Na capital da Paraíba, João Pessoa, O ato se concentrou na Praça da Independência, no Centro da cidade. A carreata saiu por volta das 15h15, pela Epitácio Pessoa em direção à praia. Nos carros que participaram do ato, além de cartazes criticando e ironizando Bolsonaro, também tinham faixas pedindo “vacina para todos”.

Em Aracaju, Manifestantes das centrais sindicais contrários ao governo federal fizeram uma carreata na manhã deste sábado (23) em Aracaju, pedindo o impeachment de Bolsonaro, o apoio da vacina contra a Covid-19 e o retorno do pagamento do Auxílio Emergencial, além de medidas de incentivo contra o desemprego.  Os motoristas saíram da Orlinha do Bairro Industrial em Aracaju, por volta das 9h30. Os carros percorreram as ruas de diversos bairros da capital e realizaram um “buzinaço”.

Em Rio Branco, além de vacina já, manifestantes pediram impeachment

Em Porto Velho Um grupo de manifestantes realizou uma carreata a favor das vacinas contra a Covid-19 e contra as políticas adotadas pelo presidente Jair Bolsonaro na manhã deste sábado em Porto Velho. O ato foi organizado por movimentos sociais.  A carreata teve concentração próximo ao Complexo da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré e seguiu por avenidas da região central da capital. Os carros dos participantes foram adesivados com a frase “Fora Bolsonaro”.

Na capital do Alagoas, o ato começou às 16h e teve concentração no Papódromo, no bairro do Vergel do Lago. O comboio passou pelas principais ruas da parte baixa da capital alagoana. O protesto deve ser finalizado no final da tarde no bairro de Jacarecica. Além de faixas e bandeiras, os manifestantes usaram os vidros dos carros para protestar. Frases como “Fora Bolsonaro” deram o tom ao protesto.

Em Divinópolis, MG, a defesa do SUS – com em outras cidades – esteve presente

Em Rio Branco, capital do Acre, A concentração do ato foi na frente de uma universidade particular e começou por volta das 15h (horário local). Depois, eles seguiram pelas principais ruas da cidade até o Palácio Rio Branco, no Centro da capital. Os participantes escreveram frases nos carros e levaram cartazes com mensagens de “Fora Bolsonaro”, “Vidas Negras Importam” e pedindo respeito às mulheres.

Na capital de Roraima, a carreata a favor da vacinação e contra o presidente Jair Bolsonaro se reuniu no centro da cidade por volta das 15h30. Os manifestantes também protestaram contra o governador Antonio Denarium (sem partido) e contra projeto de lei que legaliza o garimpo no estado sem estudos prévios.

Em Vitória, Espírito Santo, Manifestantes se reuniram por volta de 17h na Praça Universitária para uma carreata crítica a Jair Bolsonaro e a favor da vacinação contra a Covid-19. Durante o ato, manifestantes ficaram dentro de carros, buzinaram e exibiram cartazes pedindo o impeachment do presidente.

Na capital de Mato Grosso do Sul, Campo Grande,  e em outras cidades do estado, manifestantes foram às ruas na tarde deste sábado, a pé e em carreatas, em protesto contra o governo federal.

Já na capital do Maranhão, São Luís, na tarde de sábado, uma carreata percorreu as ruas da capital a favor da vacinação contra a Covid-19 e do impeachment de Jair Bolsonaro.

Além das capitais, aconteceram manifestações contra o governo em diversas cidades de porte médio do país, como as paulistas Campinas, Piracicaba, Ribeirão Preto, Presidente Prudente, Mogi das Cruzes, São José do Rio Preto; e as cidades mineiras de Uberlândia, Uberaba, Montes Claros, Varginha, Sorocaba e Divinópolis – entre outras.  Os protestos contra Bolsonaro estão se espalhando por por todo o país.

(OM com informações da mídia)