Lupi, sobre os mil dias do assassinato de Marielle: “Executada por batalhar em favor dos mais pobres”

Manifestação marca os mil dias sem elucidação do crime contra a vereadora carioca e seu motorista

“Mil dias e mil noites ficarão na memória do povo brasileiro para entender que temos que dizer fortemente um basta e um não a todo e qualquer tipo de violência.” Em manifestação nas redes sociais, nesta terça-feira (8), o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, reforçou a necessidade de elucidação, após mais de dois anos, dos assassinatos da vereadora carioca, Marielle Franco (PSOL), e do seu motorista, Anderson Gomes. O crime ocorreu no dia 14 de março de 2018, no Estácio, bairro da Zona Central do Rio de Janeiro.

“Sofrimento, lágrimas, dor da sua família, dos seus amigos, de quem quer ver a política com seriedade. Mil dias e mil noites que não sejam em vão não só para punir os responsáveis pelo crime, os autores intelectuais desse crime, como também punir, exemplarmente, quem fez o trabalho da execução criminosa. Servir de exemplo para que nunca mais se repita”, disse.

Ao falar do perfil da parlamentar, o ex-deputado federal e ex-ministro do Trabalho indicou que o delito gerou a perda não só do ser humano, mas também de “uma combativa lutadora”.

“É, principalmente, alguém, em uma sociedade discriminadora que vivemos, que sofreu muita descriminação e muita perseguição porque sempre defendeu o lado fraco da sociedade”, analisou.

(Bruno Ribeiro)

 

Veja o vídeo, na íntegra: https://www.facebook.com/LupiPDT/videos/382953706126793