Lupi defende Ciro e desafia candidatos: “Apresentem os seus projetos”

Presidente do PDT destaca importância do Brasil retomar o seu desenvolvimento

*Por Bruno Ribeiro / PDT-RJ

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, enalteceu o seu presidenciável Ciro Gomes e o Projeto Nacional de Desenvolvimento (PND) para lançar um desafio aos demais postulantes ao cargo de presidente da República: “Apresentem um projeto”, afirmou, nesta quarta-feira (16), durante debate virtual com os economistas Mauro Benevides Filho e Nelson Marconi.

“Lula (PT), apresente um projeto para o Brasil que não seja só o do Bolsa Família, que é importante para as pessoas manterem-se de pé, mas tem que ter um projeto para libertar as pessoas da necessidade do Bolsa Família”, propôs, na abertura da live.

Em entrevista ao Valor Econômico desta quinta-feira (17), Lupi reforçou o posicionamento comparativo, mas expôs que as divergências são programáticas. Para ele, o petista é visto “como adversário”, ao remeter à frase do ex-presidente sobre “jamais vai tratar como inimigo” o PDT.

“É esperteza pura. O Lula, se você estiver tomando um copo d’água, depois de uma corrida de mil metros, ele pega a tua água, bebe e diz: ‘Viu o bem que eu lhe fiz em não deixar você se afogar?’ Isso é o Lula”, disse.

“A cada cinco vídeos que ele [Ciro] grava de pancada no governo Bolsonaro, tem uma crítica substantiva que ele está fazendo contra o Lula. Vai ser mais ou menos essa proporção. Se não, vira adesismo”, completou, diante da evolução das ações pedetistas, principalmente na internet com os novos vídeos lançados.

Articulação

Salientando a abertura para o diálogo com forças democráticas, Lupi referenda a pré-candidatura de Ciro e afasta qualquer possibilidade de aproximação com o atual ocupante do Palácio do Planalto.

“Tirando o Bolsonaro, eu converso com todo mundo, mas eu deixo claro: a candidatura do Ciro é irreversível. Ele representa um projeto, não é só a pessoa, o carisma e a inteligência que ele tem”, defendeu o também vice-presidente da Internacional Socialista (IS).

Ao colocá-lo como político que tem visão estadista, o presidente do PDT destaca as prioridades centrais: futuro do Brasil e projeto de nação, independente dos números aferidos em cenários políticos momentâneos.

“A gente não se preocupa com pesquisa de hoje ou de amanhã, […] mas com o futuro da geração. Ciro é esse estadista. Ele não está pensando só no processo eleitoral. Precisamos pensar e ganhar a eleição, e vamos ganhar”, indicou.

Nesse sentido, ele lembra ainda que esse viés progressista do partido é um desdobramento de atos iniciados pelo ex-presidente Getúlio Vargas há cerca de 90 anos e potencializadas pelo ex-presidente João Goulart (Jango) e o ex-governador do Rio de Janeiro e do Rio Grande do Sul Leonel Brizola.

“Um projeto que começou lá trás, na década de 30, com Getúlio. Olha como é visionário o trabalhismo. […] Fez uma revolução para quebrar o monopólio da política do ‘café com leite’, São Paulo e Minas Gerais, para fazer o monopólio do povo brasileiro e avançar para a industrialização”, recordou.

“Esse é o papel do Trabalhismo. Ter a visão, com muita antecedência, do amanhã. Getúlio [Vargas] fez isso, Jango tentou fazer isso com as reformas de base, começando com a reforma agrária, e Brizola finalizou com a maior revolução de todas, ao lado do professor Darcy Ribeiro, fazendo a revolução da educação”, elogiou.