Lupi reafirma candidatura de Ciro à presidência em 2022 no programa “Faixa Livre”

Em entrevista ao programa “Faixa Livre”, na Rádio Bandeirantes AM do Rio de Janeiro, o presidente nacional do PDT reafirmou a candidatura de Ciro Gomes à presidência da República em 2022, condenou o governo Bolsonaro e falando sobre a decisão do ministro Fachin, de restabelecer os direitos políticos de Lula, destacou que o assunto ainda está subjudice, a volta de Lula não é certa e minimizou as chances de Bolsonaro ser reeleito.

Já para a revista eletrônica da “Carta Capital”, em outra entrevista, Lupi disse que a possível volta de Lula à disputa foi recebida no PDT como uma oportunidade para Ciro. Na entrevista à Carta Capital, Lupi disse que  a volta de Lula reforçará a polarização entre PT e Bolsonaro e abrirá um caminho para um candidato de centro. Na conversa Lupi disse que acha difícil uma aliança Ciro-Lula e afirmou que o partido trabalha por um acordo de centro esquerda.

“A volta do Lula abre um espaço para o Ciro, pois o ódio que vai se nutrir na campanha entre Lula e Bolsonaro  elimina de cara dois candidatos: Luciano Huck e Sergio Moro”, avaliou, antes de acrescentar:  “O campo do Ciro vai crescer e , e se a gente conseguir fazer uma aliança de centro esquerda, ele pode conseguir furar essa polarização e ser a grande alternativa para o Brasil”, apostou.

Antes, no dia 17 de fevereiro, em outra entrevista, Lupi disse à Carta Capital que o PDT apoiará o candidato que disputar o segundo turno da eleição presidencial de 2022 contra Jair Bolsonaro, caso o presidente postulante à reeleição chegue lá. Sobre uma possível candidatura de Haddad em 2022, frisou:   “Isso é filme antigo. A gente já viu esse filme na eleição passada. Lula se apresenta, fica de stand by; e depois  o Haddad se transforma em candidato”.

Lupi finalizou, na linha de Ciro Gomes: “ A gente primeiro tem que ter projeto. Não é por falta modéstia, mas é o mundo real: o PDT  apresenta um projeto nacional de desenvolvimento desde a campanha de 2018. Ciro andou esse Brasil todo, escreveu um livro sobre esse projeto e hoje nós do PDT temos candidato e projeto. É o nosso direito. Como é direito do PT ter o seu  candidato”.

Na entrevista passada à Carta Capital, Lupi pregou o diálogo com as outras forças da oposição, como o PT inclusive, mas ressaltou que não aceitará qualquer conversa em que o PDT “já entre abrindo mão ou ouvindo que tem de apoiar o candidato do PT”.

(OM)

Ouça a íntegra da fala de  Lupi no “Faixa Livre” de hoje, quarta-feira (10/3)