Lupi na Escola de Candidatos: “ Ciro está firme, forte e crescente”

Presidente nacional do PDT critica a ação da Polícia Federal contra Ciro Gomes

*Por Bruno Ribeiro

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, afirmou que a pré-candidatura de Ciro Gomes a presidente da República “está firme, forte e crescente”, apesar das frustradas tentativas externas de desestabilização do projeto trabalhista. O posicionamento ocorreu, nesta sexta-feira (17), ao longo do debate virtual com o secretário-geral nacional do partido, Manoel Dias, na nova edição da “Escola de Candidatos”.

No segundo encontro da série organizada pela Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini no Rio de Janeiro (FLB-AP/RJ) e que homenageia o ex-vereador carioca Fernando William, Lupi analisou o potencial do Projeto Nacional de Desenvolvimento (PND), que é um pilar fundamental da possível gestão pedetista no Palácio do Planalto e reflete os princípios do Trabalhismo.

“Representando a atualização do projeto de Getúlio Vargas, o PND é liderado pelo irreversível e irrevogável candidato pelo PDT, Ciro Gomes. […] Ele vai não só garantir, mas avançar com os direitos dos trabalhadores”, assegurou.

“Nós somos o depositário fiel de Getúlio Vargas, João Goulart e Leonel Brizola, pois garantimos o legado trabalhista. O partido se diferencia porque respeita a sua história ao defender os direitos sociais e a educação de qualidade para todos, bem como o constante questionamento ao monopólio do sistema financeiro”, completou.

Ao criticar a operação da Polícia Federal, na última quarta-feira (15), na residência de Ciro, em Fortaleza (CE), Lupi indicou a possível influência política em ações contra o presidenciável pedetista, o que demanda uma mobilização consistente em prol do Estado Democrático de Direito.

“Temos parte da Polícia Federal manipulada não só pelo [Jair] Bolsonaro, mas também pelo [Sérgio] Moro. Nós vamos resistir e lutar até o fim. Eu quero convocar todos vocês para que defendam o Brasil. Nunca essa pátria precisou tanto de nós para manter a soberania e pluralidade nacionais”, disse Lupi.

Colocando a formação de quadros e organização por núcleos de base como um mecanismo propulsor do projeto trabalhista, Manoel Dias vislumbra a consequente conscientização política dos cidadãos e a progressiva transformação do país através do voto.

“A alternativa para o Brasil é um governo nacionalista e compromissado com a massa, que está abandonada. O que vivemos, hoje, é uma batalha reiterada contra os abusos e a opressão da direita e do capital financeiro. Por isso, o Ciro incomoda tanto”, opinou Dias, que também preside nacionalmente a FLB-AP.

“O partido sente orgulho da sua origem. Nossos governos, como todos os de Leonel Brizola, contam com três eixos: soberania, trabalhadores e educação. É o Trabalhismo vivo e cada vez mais presente”, concluiu.

Programação

Em janeiro de 2022, o curso contará com aulas virtuais sobre “Saúde, ciência e inovação” no dia 11, às 19h; “Direitos humanos e cidadania das minorias sociais” no dia 18, às 19h, e “Cultura e Educação” no dia 25, às 19h.

No mês seguinte, sempre às 19h, os alunos poderão acompanhar ainda, pela internet, análises referentes à “Juventude e seus desafios” no dia 1; ao “Direito à cidade: sustentabilidade e urbanização” no dia 8, e ao “Papel do Brasil no cenário global” no dia 15.

A “Segurança Pública” será abordada no dia 15 de março, às 19h, em uma nova atividade através do Zoom. No dia 22 de março, às 19h, o ex-prefeito de Niterói e pré-candidato ao governo fluminense pelo PDT, Rodrigo Neves, estará na FLB-AP/RJ para detalhar o “Papel do Estado e o Desenvolvimento do Rio de Janeiro”. Na sequência, a pauta do dia 29 de março, às 19h, pelo Zoom, será a “Comunicação e o Marketing de campanha”.

A “Legislação eleitoral” será o tema central do último debate, que está programado para ser executado, através do Zoom, no dia 5 de abril, às 19h.