Lupi participa de ato em Brasília da frente contra as privatizações de Bolsonaro


Por Wellington Penalva
04/09/2019

“Nós não tememos a ditadura e não iremos temer qualquer ditadorzinho de plantão que esteja no Palácio”

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, participou da abertura do seminário “Soberania Nacional e Popular, debate contra as privatizações. Em defesa do emprego e de nosso futuro”, na manhã de hoje (04). O evento aconteceu no auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados e teve como norte a unificação de forças de oposição ao desgoverno do atual chefe do Executivo, Jair Bolsonaro.

Defesa da soberania nacional é ato indissociável à existência do PDT, consta em seu estatuto e na prática histórica do partido – a carreira política de Leonel Brizola, por exemplo, não deixa dúvidas. Com a autoridade de quem leva o legado trabalhista adiante, Lupi usou a palavra e acusou os desmandos da quadrilha instalada no Planalto: venda da ENBRAER por 25% do valor real; entrega da BR Distribuidora; destruição da Amazônia e dos povos nativos brasileiros; e a retirada sistemática do direito dos trabalhadores.

O líder trabalhista também invocou o dever cidadão de cada brasileiro em não se curvar ao vilipendio em curso. “É um ataque vil, criminoso, ao interesse nacional, a nossa soberania, ao direito de cada cidadã e cidadão brasileiro […]. Não podemos nos calar com medo dos tribunais de inquisição modernos que tem por ai. Temos que gritar em alto e bom som: ‘Nós não tememos a ditadura e não iremos temer qualquer ditadorzinho de plantão que esteja no palácio hoje’”, bradou Lupi, apoiado pelo aplauso dos mais de mil participantes.

O debate acerca do desmonte estatal imposto pela política econômica entreguista e subserviente encabeçada pelo ministro Paulo Guedes (o garoto de Chicago), atraiu personagens importantes da política nacional. Além de Carlos Lupi, os ex-presidenciáveis Guilherme Boulos e Fernando Haddad, a deputada Jandira Feghali e a presidente destituída pelo Golpe de 2016, Dilma Rousseff, estiveram presentes na mesa de abertura. Representantes de movimentos sociais, sindicais e entidades da sociedade civil também participaram do evento.

Confirma a íntegra da fala do presidente Lupi: