Lupi elogia coesão da bancada do PDT e prevê cerco à PEC dos Precatórios

Presidente nacional do partido aponta Ciro Gomes como “opção preparada” para superar Bolsonaro

*Por Bruno Ribeiro

Ao prever o cerco político e jurídico contra a PEC dos Precatórios (Proposta de Emenda à Constituição 23/2021) no Senado Federal, o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, elogiou o alinhamento da bancada de deputados federais do partido, que concedeu 19 votos contrários no segundo turno da tramitação realizada ontem (9), na Câmara. “Conseguimos manter a coesão partidária, mas a luta não acabou”, afirmou nesta quarta-feira (10), em entrevista à TV Democracia.

Pela correlação de forças no Senado e a “independência” do presidente da Casa, Rodrigo Pacheco, Lupi espera cenário difícil para o governo federal avançar com o dispositivo. A bancada do PDT tem três senadores: Cid Gomes (CE), Weverton Rocha (MA) e Acir Gurgacz (RO).

“Bolsonaro teve várias derrotas muito fortes no Senado. Não é simples ele passar essa PEC, principalmente porque ela é completamente inconstitucional”, argumentou, indicando que também seguirá atuando no Supremo Tribunal Federal (STF) para barrar a tramitação.

Diante do impacto acumulado pelas crises política, econômica e social nos últimos anos, Lupi lembrou ainda que Bolsonaro é o único presidente, entre os maiores países do mundo, que não se vacinou, nega a ciência e estimula o desmatamento para afrontar o equilíbrio ecológico.

“Temos que canalizar toda a nossa energia contra o profeta da ‘ignorância’. Bolsonaro representa o atraso do atraso, a ridicularização do Brasil no mundo. Virou uma chacota”, evidenciou.

Caminho

Classificando a essência do “bolsonarismo” como ultradireita “raivosa, homofóbica e racista”, o pedetista entende que o processo de transformação do cenário não ocorre instantaneamente. Com isso, colocou a pré-candidatura de Ciro Gomes ao Palácio do Planalto como fator essencial, pois o cearense é, segundo ele, “o mais preparado” e conta com um o Projeto Nacional de Desenvolvimento estruturado e aprimorado.

“Isso não muda de um dia para o outro. Nós temos que trabalhar para ganhar espaço e esclarecer a sociedade. Não há hipótese do PDT caminhar com qualquer linha bolsonarista”, disse.

“Vamos apresentar o nosso projeto, que é representado pelo Ciro e eu considero o melhor para o Brasil”, completou, acreditando no segundo turno com o ex-presidente Lula, do Partido dos Trabalhadores (PT).