Lupi afirma que principal foco do PDT hoje é derrotar Jair Bolsonaro

“Visão econômica” é colocada como ponto de divergência na comparação com o projeto do PT

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, disse que o principal foco do partido é vencer democraticamente o presidente da República, Jair Bolsonaro. Em debate com o deputado federal Paulo Ramos (PDT-RJ) nesta terça-feira (18), ele defendeu o “projeto de futuro” capitaneado pelo presidenciável pedetista, Ciro Gomes.

“Meu papel, como presidente de partido, é colocar questão que nos é cara. Hoje, é caro para o PDT e para o Trabalhismo bater e desalojar do poder, pelo voto, Jair Bolsonaro”, confirmou, em uma medida para impedir que o Brasil fique “fadado ao fracasso”.

“Projeto de poder tem que ter estratégia e inteligência. Hoje, o nosso principal foco é derrotar o Bolsonaro, que eu chamo de profeta da ignorância”, reiterou, ao incentivar o impeachment e apoiar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) – instalada no Senado – para responsabilizar o presidente pelas 436 mil mortes pela Covid-19.

Diferença

Ao exaltar o Projeto Nacional de Desenvolvimento (PND) como alternativa consistente para o Brasil, Lupi indicou a base econômica, e o consequente enfrentamento do sistema financeiro, como divergências centrais entre os planos de governos do PDT e do PT.

“É, nesse projeto de futuro [PND], que nós temos que fazer a diferença, na minha opinião, no substantivo. Ou seja, o que nós temos de diferença do PT é a visão econômica. Essa é, para mim, o câncer da sociedade moderna”, alegou.

“Então a gente tem que atacar essa diferença. Nós vamos querer taxar as grandes fortunas e a pluralidade financeira. Eu quero copiar os americanos nisso. Um estado americano tem 50 bancos. Aqui, no Brasil todo, tem três bancos privados que tomam conta de todo o mercado financeiro. Nós queremos democratizar”, completou.

Nesse sentido, o presidente pedetista cita a atuação do BNDES na promoção do desenvolvimento nacional e a tendência almejada pelos pedetistas ao conquistar o Palácio do Planalto.

“Tem que ajudar o pequeno e médio produtor e empresário. Esse que precisa do dinheiro público, não grandes conglomerados, que deram as coisas erradas que eles fizeram. Nós temos que pegar os grandes corruptores da nação, que são os grandes conglomerados financeiros, esses grandes grupos, que compram e entregam o país”, apontou.

Opção

“Isso pra mim que tem que ser discutido e esse é o assunto substantivo. Eu acho que é esse o caminho”, ratificou, ao valorizar a inteligência do pré-candidato pedetista.

Para Lupi, Ciro é, portanto, o mais preparado para enfrentar os desafios pela experiência acumulada em mais de três décadas de vida pública.

“Já foi governador do estado do Ceará, quinto estado da federação; prefeito de Fortaleza; ministro da Fazenda, no governo Itamar, e ajudou a fazer o Plano Real, e ministro da Integração”, pontuou.

“Nós temos que fazer o Brasil avançar. Temos que olhar a nossa nação e pensar naquilo que Leonel Brizola dizia, que era preparar a educação das nossas crianças tenham, amanhã, a coragem, a competência, a ousadia de fazer as transformações que o Brasil necessita”, finalizou.

(por Bruno Ribeiro)

Para assistir, na íntegra, clique aqui.