Lupi aciona Internacional Socialista para quebra de patentes das vacinas da Covid

Presidente nacional do PDT condenou atuação do governo federal liderado por Jair Bolsonaro 

*Por Bruno Ribeiro / PDT-RJ

Presidente nacional do PDT e vice-presidente da Internacional Socialista (IS), Carlos Lupi enviou, no último domingo (28), uma carta à organização política estrangeira para defender a quebra de patentes das vacinas contra a Covid-19.

Ao criticar o modelo econômico neoliberal que “prioriza o lucro em detrimento da saúde”, Lupi reafirmou sua posição de mobilizar o campo progressista em prol da mudança de paradigmas históricos.

“É preciso assumir uma postura corajosa com relação às patentes e aos direitos de propriedade intelectual das tecnologias de saúde utilizadas no combate ao coronavírus, em especial as vacinas. O atual sistema não foi moldado para lidar com pandemias”, justificou.

“Enquanto a indústria farmacêutica e os países desenvolvidos lucram com as vendas, os países de renda média e baixa padecem com a dependência e a espera”, completou.

A revisão, segundo o pedetista, é uma medida urgente para preservar milhões de cidadãos, principalmente nos países subdesenvolvidos e em desenvolvimento.

“A suspensão das patentes tornaria possível a fabricação de insumos em toda parte e diminuiria o risco da falta de vacinas. Desde janeiro, em um vídeo publicado em minhas redes sociais, já defendo a necessidade urgente desta medida”, ponderou.

Vinculação

Diante da crise sem precedentes propagada no Brasil, Lupi responsabiliza o governo federal, a partir da liderança do presidente Jair Bolsonaro, pela potencialização dos índices negativos.

“Já perdemos mais de 300 mil vidas, enquanto o presidente e seus apoiadores seguem criticando as medidas sanitárias da OMS e espalhando fake news. O governo já está em seu quarto ministro da Saúde desde o início da pandemia, colecionando acusações de ineficiência e omissão, inclusive no processo de compra das vacinas”, relatou.

Com isso, o pedetista solicita apoio mundial para garantir intervenções que compensem a “irresponsabilidade e o negacionismo” fomentados pelo bolsonarismo.

“Diante da omissão do governo federal do Brasil, venho, em nome do meu país, pedir apoio dos membros da Internacional Socialista para uma união pela quebra das patentes das vacinas. O lucro não pode estar acima da preservação da vida. É preciso pensar no futuro e nas próximas gerações. A História irá nos cobrar”, concluiu.

Confira a íntegra da carta: