Lideranças do PDT fortalecem luta contínua contra “LGBTIfobia” no Brasil

Pioneiro com a formalização do PDT Diversidade, partido reafirma luta pelos direitos sociais no Brasil

Pioneiro na formalização de um movimento sobre a temática LGBTQIA+ (PDT Diversidade), o partido reiterou nesta segunda-feira (17), a partir de lideranças como Carlos Lupi e Ciro Gomes, presidente e vice-presidente nacionais da sigla, a importância da luta contínua do campo progressista contra o preconceito no Brasil. As manifestações ocorreram, nas redes sociais, em função do Dia Internacional contra a “LGBTIfobia”.

Ao exaltar a vanguarda dos pedetistas, Lupi colocou a diversidade como essência de uma sociedade brasileira que deve valorizar e proteger as escolhas de cada cidadão.

“Defendo, com muito vigor e muita convicção, o direito do ser humano de fazer com seu corpo o que bem entender. Nós temos que classificar o ser humano pela sua honestidade, integridade e moral de respeitar o direito do seu semelhante, não com discriminação”, disse.

Para Amanda Anderson, presidenta nacional do PDT Diversidade, a data deve ser de “reflexão”, pois “o combate aos atos discriminatórios é todo dia”.

“Evitando a piada depreciativa, o olhar de reprovação contra LGBTIs e toda forma de subjulgar nossa orientação sexual e identidade de gênero”, salienta.

“Somos mais que nossa identidade de gênero e orientação sexual, somos humanos que merecem respeito. Respeito, a balança que combate todo tipo de preconceito. Existimos e resistência, mesmo estando no país que mais mata LGBTIs no mundo, vivenciando um retrocesso nunca antes visto, mas que não vencerá nossa democracia”, relatou.

Citando que o Brasil é uma das nações onde “mais se perseguem as comunidades LGBTQI+ no mundo”, Ciro afirmou que “matar ou violentar alguém pela identidade de gênero ou pela orientação sexual é ato de barbárie”.

Para mudar a realidade, o pedetista propõe políticas públicas efetivas e abrangentes que não só protejam, mas também garantam a “visibilidade política para todas as causas que são sufocadas”.

“Encerrar esta prática selvagem faz parte de um projeto nacional que valorize e empodere a diferença, que faça da tolerância e do respeito ao outro a forma de reunirmos a grande nação ferida que é o Brasil!”, defendeu.

“Enfrentar e derrotar a miséria e a desigualdade pede a unidade de todos nós e a nossa unidade somente será verdadeira no respeito à diversidade e na luta contra a LGBTfobia. Como disse Lulu Santos, ‘consideramos justa toda forma de amor’!”, concluiu.

O senador e presidente da sigla no Maranhão, Weverton Rocha, reiterou a colocação do respeito e da igualdade como base para o progresso da nação.

“A base da nossa civilização é o respeito. Não cabe mais no nosso mundo qualquer tipo de preconceito e discriminação. Todos merecem ser respeitados e ter oportunidades iguais.  Vamos sempre lutar por isso”, assegurou.

O deputado federal André Figueiredo (CE), abordou a contínua atuação da bancada pedetista no enfrentamento de tendências opressoras e retrógradas no Brasil.

“Hoje é mais um dia importante de luta contra todas as formas de preconceito que ainda insistem em excluir, ameaçar e até matar. Nos somamos à resistência em defesa da vida e o respeito a todas as formas de amor!”, indicou.

(Por Bruno Ribeiro)