Juventude Socialista integra Frente Ampla contra governo Marcelo Crivella, no Rio de Janeiro

Por Bruno Ribeiro/FLB-AP
09/06/2020

“Tomem o destino de vocês nas mãos próprias de vocês.” No caminho indicado por Leonel Brizola, a mobilização integrada dos jovens segue avançando na cidade do Rio de Janeiro. Em uma ação conjunta da Juventude Socialista (JS), do PDT, com as representações da causa nos partidos PSB, Rede, Cidadania e PV, foi criada, nesta segunda-feira (8), a Frente Ampla das Juventudes para combater os retrocessos gerados pelo governo do prefeito Marcelo Crivella.

Ao lançar um manifesto, a iniciativa, desencadeada no ato nacional “Janelas pela Democracia: Impeachment Já!”, critica a extinção do Conselho Municipal e da Superintendência de Juventude, o que gerou o desamparo de cerca de 1,5 milhão de cariocas e o distanciamento na construção de políticas públicas efetivas para esse recorte da população.

“Em meio à indignação generalizada, confiamos em nossa capacidade de nos organizar e escolher o futuro que queremos”, afirma, no texto, ao detalhar o engajamento na frente. “Um movimento formado por um arco amplo e plural, que une as juventudes partidárias do campo democrático alinhadas no combate às desigualdades e à polarização radical. Promovendo, assim, o diálogo, a autocrítica e o desprendimento de ideias que nos afastam para pautar a integridade acima da conveniência”, relatam.

Ao dar destaque a necessidade de ações efetivas no amparo da proteção de direitos sistematicamente violados, como os relativos às mulheres, negros, indígenas, LGBTI+ e pessoas com deficiência, o movimento busca intervir nas “raízes estruturais das desigualdades que afligem os jovens”. E, para eles, o caminho passa pelo ensino de qualidade.

“Consideramos que uma educação básica pública, universal e de qualidade é a principal ponte de acesso a chances igualitárias para a emancipação na vida real, onde o próximo ciclo tecnológico modificara bilhões de empregos”, afirma, ao citar, paralelamente, o combate à violência e à corrupção.

Ao encerrar, ratificam que a presença da juventude representa um diferencial na transformação do cenário atual não só do Rio de Janeiro, mas também do estado e do País.

“O aprofundamento da participação do jovem é primordial para o desenvolvimento da sociedade e da democracia, em nosso país, diante da necessária superação dessa crise política, ética e moral que vivemos em tempos que mais se precisa de uma liderança frente à pandemia”, conclui.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*