Juca Kfouri escreve: Por uma Frente Ampla até doer

Tudo já foi dito a respeito do obscurantismo cafajeste e miliciano que chegou ao poder no país fruto de eleição viciada, sob o silêncio de muitos e estimulado por outros tantos.

Que hoje, menos mal, estão assustados com o que fizeram por ação e por omissão.

Chegamos àquela situação em que cobrar responsabilidades é secundário diante da necessidade de interromper a noite tenebrosa vivida pelo Brasil, presidida por um desqualificado que envergonha as pessoas de bem da Nação.

E estamos praticamente paralisados diante do tamanho da barbárie cinicamente fascistóide dos que estão no poder em Brasília.

Impõe-se a união das forças democráticas para interromper a trajetória autoritária e a incompetência de aventureiros que comandam a Economia, a Educação, a Saúde, o Meio Ambiente, a Justiça, os Direitos Humanos e a Comunicação no país.

Antes que seja ainda mais tarde do que já está.

Os excessos cometidos por bandidos fardados, de São Paulo ao Ceará, passando pelo Rio de Janeiro e pela Bahia, são suficientemente eloquentes para que digamos basta!

O que está em curso é simplesmente tenebroso num retrocesso de mais de meio século.

É hora de exigir o fim da barbárie para que possamos reencontrar o caminho da paz e da união nacional.

De norte a sul, de leste a oeste, urge a reação dos democratas.

Impõe-se fazer frente à guerra de comunicação, com as forças democráticas em desvantagem no momento.

E esquecer 2022 para que possamos ter 2022.

Quando o presidente da República convoca para uma manifestação contra os poderes Legislativo e Judiciário é porque o golpe deixa de ser desejo e passa a ser projeto.

Outra ditadura, não!

Tortura nunca mais!

Liberdade, liberdade, abre as asas sobre nós.