JS-PDT está convocando para ato contra Bolsonaro sábado na Avenida Presidente Vargas

Ponto de encontro da JS-PDT no Rio será na saída do Metrô, na Central, às 9hs

Liderados pelos partidos políticos, entre eles o PDT, pelos movimento sociais  e pelas centrais sindicais manifestantes de todo o Brasil voltarão às ruas neste sábado, 24/7, em protesto contra o governo de Bolsonaro, o avanço da pandemia por falta de vacinação, a corrupção denunciada pela CPI da Covid, a fome e o desemprego no país. Os organizadores  do ato acreditam que o protesto deverá ser ainda maior do que as manifestações realizadas nos dias 19 e 29 de junho;  e no último dia 3 de julho.

Os organizadores divulgaram manifesto assinado pelos partidos de Oposição (PDT, PSB, PT, PSOL, PCdoB, PSTU, PCB, entre outros), centrais sindicais e organizações da sociedade civil. Os manifestantes estão sendo instados a respeitar todos os protocolos de segurança sanitária, como o uso de máscaras, álcool em gel e distanciamento, recomendam os organizadores.

Aqui no Rio de Janeiro os pedetistas são liderados por Matheus Novais, presidente da JS-PDT estadual e pelos militantes da JS que além de produzirem camisetas, adereços e faixas próprias, com imagens das principais lideranças trabalhistas do PDT como Getúlio Vargas, João Goulart, Darcy Ribeiro e Leonel Brizola; deverão estar em peso na Avenida. O ponto de encontro da JS-PDT será às 9hs, na saída do Metrô, na estação Central do Brasil.

Os organizadores do ato, que se repetirá por todas as capitais do Brasil e cidades de porte médio e até pequenas, denomina a manifestação como “dia de unir o país em defesa da democracia, da vida dos brasileiros e do Fora Bolsonaro”.

Em nota, divulgada nesta quarta-feira (21/7), os integrantes afirmam que é preciso combater a ação “criminosa” do atual presidente durante a pandemia da covid-19 e lutar pela “defesa intransigente da democracia”. Eles ainda lembram das suspeitas de corrupção levantadas pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, levantadas a partir de depoimentos de servidores, ex-ministros da Saúde e empresas de venda de vacinas contra a doença.

“Ao mesmo tempo em que sabota todos os esforços da sociedade para vencer o coronavírus, Bolsonaro ataca diariamente o regime democrático brasileiro e busca, inequivocamente, as condições para imposição de um regime autoritário que destrua as instituições republicanas para acabar com as liberdades democráticas”, dizem.

A última manifestação contra o presidente ocorreu há menos de um mês, em 3 de julho, e reuniu cerca de 290 cidades do país e do exterior. Foi o terceiro grande protesto contra o chefe do Executivo em dois meses.

Confira a íntegra da nota:

BLOCO DEMOCRÁTICO

“Em Defesa da Vida e da Democracia – 24 de Julho – #24J

“Dia de unir o país em defesa da democracia, da vida dos brasileiros e do Fora Bolsonaro

“O Brasil vive uma das maiores tragédias da sua história, com a perda de 540 mil vidas para a pandemia do Covid 19. Nesse difícil momento, a ação do governo federal tem sido marcada de maneira criminosa pela irresponsabilidade e descaso com a defesa da vida do nosso povo, atacando a ciência e sabotando a vacinação, usando o momento de dor e perda por que passamos como uma oportunidade para ações corruptas, reveladas pela CPI da pandemia.

“Ao mesmo tempo em que sabota todos os esforços da sociedade para vencer o coronavírus, Bolsonaro ataca diariamente o regime democrático brasileiro e busca, inequivocamente, as condições para a imposição de um regime autoritário que destrua as instituições republicanas para acabar com as liberdades democráticas.

“Não é a primeira vez que o Brasil enfrenta essa ameaça. Já assistimos a esse filme e sabemos o caminho para derrotar o arbítrio. É hora de unir os brasileiros, independente de colorações partidárias e ideológicas, na defesa intransigente da democracia. É preciso, ainda, apoiar as demandas sociais pelo auxílio emergencial de $600, vacina para todos já, contra a carestia e política ativa de geração de empregos de qualidade”.

Assinam o texto, por enquanto, 26 entidades – muitas ligadas ao movimento estudantil e as organizações de juventude dos partidos políticos.

Aqui no Rio de Janeiro, o ato está programado para sair do Movimento de Zumbi dos Palmares (na saída da rua de Santana) às 10 horas da manhã. A Juventude do PDT marcou, como ponto de encontro, a saída da estação do Metrô na Central do Brasil, às 9 horas da manhã. Virão delegações da JS-PDT de Niterói, São Gonçalo, São João de Meriti e de outros municípios da Baixada.

Em São Paulo, a concentração será na Avenida Paulista, em frente ao Conjunto Nacional e a passeata deve sair às 15 horas.

Os organizadores estão pedindo aos militantes que levem, também, bandeiras do Brasil .

(OM com redes sociais)