Executiva se reune e fecha questão contra PEC dos precatórios

Em reunião da Executiva Nacional do PDT. virtual e presencial,  com a bancada na Câmara dos Deputados nesta terça (9/11), ficou decidido que a bancada irá rever seu posicionamento no segundo turno da votação da PEC 23/2021, conhecida como PEC dos Precatórios, e votar contra. A decisão foi anunciada pelo presidente nacional da legenda, Carlos Lupi, logo após o encontro, em coletiva na sede nacional do PDT, em Brasília, onde falou ao lado do líder do partido na Câmara, deputado Wolney Queiroz.  Segundo Wolney,  a decisão tem como objetivo pacificar e manter a unidade partidária dentro do Congresso.

Para Lupi, a decisão mostra que o partido está forte e o Plano Nacional de Desenvolvimento – plataforma da campanha presidencial de Ciro para 2022 – garante a unidade partidária para as mudanças que o Brasil precisa.

“Sofremos muito nesta última semana, com ataques de todos os lados e ilações descabidas sobre a forma que nossa bancada havia votado. Aqui não existe esta questão de votar por emendas, como muito se afirmou. Temos um projeto e estamos demonstrando força e unidade em torno de Ciro, nosso candidato a presidência em 2022. Avaliamos a questão e, por consenso, decidimos que não podemos compactuar, de forma alguma, com questões inconstitucionais e que possam levar a compra de apoio pelo Governo Bolsonaro, afirmou Lupi.

Na coletiva Lupi informou que só o subtenente Gonzaga (MG) votou contra a decisão da Executiva Nacional, “mas já está de saída” ( do partido). Citou ainda o fato de que outros três deputados,eleitos pelo PDT, “já não são mais nossos” – e também sairão do PDT.

A decisão está sendo comemorada pela militância e lideranças do PDT e apontam o caminho da unidade.

Em vídeo, Lupi fez um relato da reunião 

Assista a íntegra da coletiva de  Lupi (7 minutos) em Brasília

 

Fonte: PDT Nacional, Twitter