Ecotrabalhismo e JS-PDT lançam cartilha “Educação Ambiental”

No RJ, movimentos do PDT apresentam princípios, rotinas e análises diante das realidades do país

Os movimentos Ecotrabalhismo e Juventude Socialista (JS) do PDT do Rio de Janeiro lançaram, nesta quinta-feira (12), a cartilha “Educação Ambiental Trabalhista”, que aborda princípios, rotinas e análises a partir das realidades existentes nos municípios fluminenses.

Em destaque, o documento aponta os “impactos ambientais gerados pelo homem”, valoriza a educação ambiental e também lista 12 ações que “podem mudar o mundo”, como o estímulo à reciclagem; compostagem; consumo consciente; doação; economia de energia, água e papel, além da escolha de produtos oriundos de empresas ecologicamente responsáveis.

Ao mencionar o protagonismo do fundador e presidente de honra do PDT, Leonel Brizola, que reforçou o meio ambiente como pauta prioritária para o trabalhismo, o presidente nacional do partido, Carlos Lupi, abordou o compromisso com o progresso ecológico nacional, que sofre ataques diretos do bolsonarismo.

“Em tempos de governo Bolsonaro, nosso movimento, hoje comandado [nacionalmente] por Ivana Groff, tornou-se ainda mais fundamental para discutir e apresentar propostas, assessorando nossos quadros Brasil afora”, disse, ao completar: “No que depender do Ecotrabalhismo, não haverá, em nenhum momento, o ‘passamento da boiada’ e o recuo de garantias ambientais.”

Com o apoio da Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini (FLB-AP) estadual, enfatizado no artigo do diretor de Projetos, Leonardo Lupi, a ação integrada pedetista almeja expandir a interação entre todos os elos da sociedade, em consonância com a tendência mundial.

“Com o lançamento da cartilha, nós poderemos ampliar um engajamento que já vem sendo feito em todo mundo e precisa evoluir, com urgência, no nosso Brasil. O ambientalismo é fundamental para o entendimento das demandas que mais afligem o nosso povo e país. Será através do diálogo maduro que poderemos propor alternativas e saídas para o desastre em curso”, avaliou o presidente estadual da Juventude, Matheus Novais.

“Vamos debater com ambientalistas e simpatizantes o papel do trabalhismo em um futuro mais sustentável. Estamos vivendo um apagão ambiental no governo brasileiro e Bolsonaro é um fiasco. Por isso, precisamos apresentar as alternativas do desenvolvimento verde para a população. Esta cartilha é um passo essencial para acolher novos pensamentos”, completou o presidente estadual do Ecotrabalhismo, Luis Moreira.

(por Bruno Ribeiro)

Confira a integra da cartilha