Diretório Estadual discute apoio a Dilma

Em cumprimento ao calendário de encontros mensais, o Diretório Estadual do PDT do Rio de Janeiro reuniu-se, nesta segunda-feira (10 de agosto), no auditório da Fundação Leonel Brizola-Alberto Pasqualini, no Centro do Rio.
O relacionamento institucional do Partido com o Governo Dilma, que sofre imensa pressão de partidos de oposição e da imprensa brasileira, foi o tema predominante entre os membros do Diretório.
Embora as notícias veiculadas neste final de semana tenham provocado entendimentos diversos entre os pedetistas, o que ficou patente é que a quase totalidade dos oradores entende que, neste momento de crise institucional, o PDT deve fortalecer o Governo Federal.
Ao iniciar a reunião, o presidente em exercício do PDT/RJ, José Bonifácio, fez uma explanação – por solicitação do presidente nacional, Carlos Lupi, em viagem a São Paulo – sobre a decisão tomada pela bancada do Partido na Câmara dos Deputados, em acordo com a Executiva Nacional, que, diferentemente do noticiado, não rompeu com o governo:
– A bancada na Câmara Federal, com apoio da Executiva Nacional, não… tem que ficar claro: não rompeu com o Governo Dilma. A nossa colocação de independência significa que o Partido vai continuar analisando – com todo critério, como sempre fez – todas as propostas de votação.
José Bonifácio explicou que, na semana passada, o líder do PT, José Guimarães, resolveu dizer, na reunião em que estavam os líderes da base de apoio o Governo, que o PDT era obrigado a votar nas pautas, de acordo com a orientação do Planalto, “porque ‘estava comendo o osso e o filé do Ministério do Trabalho’ – no maior desrespeito ao nosso Partido e à nossa bancada”.
E concluiu, enfático: “nós não nos aliaremos aos golpistas, àqueles que estão querendo tirar o mandato de Dilma, àqueles que estão querendo votar o impeachment. Isto não tem hipótese”.
Ao encerrar a reunião, além de lembrar que os velhos udenistas estão aí, com a capa do PSDB e do DEM; disse que estava sentindo, nas falas dos companheiros que, por causa de votações de alguns poucos deputados, a bancada do Partido estava sendo acusada como um todo.
Enfatizou que a bancada tem se comportado de acordo com os estatutos do PDT, em torno do líder: “A gente tem que tomar como exemplo o nosso líder, André Figueiredo, que tem sido um belíssimo líder; um belíssimo deputado”. E concluiu: “A bancada do PDT não é a favor do golpe”.
Ratificando o que dissera em sua fala (em que contara que recebeu um telefonema de um amigo de direita, que disse ‘quer dizer que os ratos já estão abandonando o navio’; e que ele ficara “com cara de camundongo”), Trajano Ribeiro falou da necessidade de o PDT explicar, com clareza, através de uma nota, que nós estaremos com o Governo, diante de qualquer tentativa de deposição da Presidenta da República.
Em sua fala, Olga Amélia fez uma analogia entre o momento atual e a Campanha da Legalidade – liderada por Brizola, que, em 1961, resultou na posse de João Goulart na Presidência da República – para reafirmar a necessidade do apoio do PDT ao Governo Dilma, legitimamente eleito. Olga convidou os companheiros para estarem na passeata do próximo dia 20, na Avenida Rio Branco.
– “Este movimento é independente de partido; ele está sendo chamado por aqueles que acreditam que vale a pena lutar pela legalidade”, concluiu.
O orador seguinte, Carlos Henrique, além de informar que uma chapa integrada por pedetistas foi vitoriosa no Sindicato Estadual de Profissionais de Educação do RJ (SEPE), na Coordenação da Capital, complementou a informação de Olga Amélia, sobre a passeata do dia 20:
– “Os movimentos sociais estão se articulando para fazer um grande movimento, começando no Rio Grande do Sul, no dia 18. No dia 20, Olga, eu quero acrescentar: não são somente as organizações; todos os partidos de esquerda, do PCdoB ao PSTU, estão puxando o dia 20. E o PDT não pode ficar de fora disto. Não podemos deixar o atraso voltar para este país”.
Chicão de volta. Viva o Chicão!

O sempre atuante companheiro Chicão (reconhecido, ao longe, pela camisa com foto de Brizola – das muitas de sua coleção), ultimamente pouco presente aos atos partidários, falou não de política, como sempre o faz, mas de algo tão importante quanto a militância: sua saúde.
– “Quero agradecer a todos vocês que torceram por mim, neste processo: é a terceira internação, neste ano. Fico feliz, porque esta é uma família na qual ingressei, em 1980. São nestes momentos difíceis que a gente vê o quanto a gente plantou; o que a gente colhe e pode colher no futuro”.
Sábado, 22 de agosto

Três membros do diretório trouxeram informes sobre atividades do Partido, no dia 22 de agosto – dois deles já com vistas à eleição municipal do próximo ano.

Tássia Bastos falou sobre o 16º Congresso Estadual da Juventude, a se realizar no Sítio Três Irmãos, de propriedade do vereador Mazinho, de Duque de Caxias, na Estrada Rio D’Ouro, 45 – em Xerém. Este encontro – preparatório para o Congresso Nacional, no final do ano, em Brasília – tem como tema Filhas da luta, em homenagem a todas as mulheres trabalhistas, “que trouxeram, para o nosso país, muitas lutas e muitas conquistas”. Tássia declarou-se honrada em trazer, aos companheiros do PDT, o convite para um congresso que tem tudo para ser um marco na integração entres os movimentos do PDT, porque “as pautas das mulheres, dos negros, idosos, LGBT não têm de ser tratadas apenas pelos espaços específicos; tem que ser discutidas e encaminhadas por todos, em conjunto”.
Roberto Teixeira informou que, a partir das nove horas (com um café da manhã), haverá uma reunião das coordenadorias Norte e Leopoldina, em que serão discutidas formas de integração destas áreas, com vistas a programas e eventos conjuntos.
Embora, inicialmente, seja um evento entre duas coordenadorias, Roberto Teixeira fez convite a todos os presentes, inclusive pré-candidatos com domicílio em outras áreas. Endereço: Rua José dos Reis, 1850 – saída 4 da Linha amarela.
A presidente da Ação da Mulher Trabalhista do Rio de Janeiro, Zoraia Sauer, falou sobre o curso de formação política, ministrado pela presidente nacional da AMT, Miguelina Vecchio, para pré-candidatas, na sede do PDT (rua Sete de Setembro, 141).

Related posts