Deputados Estaduais recém filiados participam de reunião do Diretório Estadual

O Diretório Estadual do PDT do Rio de Janeiro realizou, nesta segunda-feira (11/4), no auditório da Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini, reunião ordinária, com a presença de novos filiados ao Partido, que exerceram este direito, em decorrência das janelas: dispositivo de lei, em que parlamentares puderam trocar de partido, sem perda de mandato.
Com o retorno do deputado Bebeto e o ingresso de Martha Rocha, Thiago Pampolha e Zaqueu Teixeira – que se somaram a Jânio Mendes, Luiz Martins e Tânia Rodrigues –, a bancada do PDT, na Assembleia Legislativa do Rio, passou a ter sete integrantes: a segunda maior da Casa.
Ao analisar o crescimento do Partido em todo o território nacional, Carlos Lupi disse que “nós poderemos ser o grande depositário fiel da esperança de continuar um governo progressista, com a nossa visão estratégica de Estado; de defesa da Petrobras e dos direitos dos trabalhadores”.
E concluiu: “Se tivermos competência, vamos começar a construir, nesta eleição municipal de 2016, a eleição de 2018”.
Ato público na Lapa
Ao iniciar a reunião, o Presidente do PDT propôs ao plenário que, excepcionalmente, este encontro, mensal, tivesse a duração de uma hora, para que, às 19 horas, todos rumassem em direção à Lapa para participar do ato público em apoio à Presidenta Dilma, que está sofrendo tentativa de golpe. A proposta foi aprovada por unanimidade.
– “É muito importante a gente estar lá. Estamos num momento muito difícil da vida do país. Acho que não seria correto nos ausentar, no momento que está o Lula aqui. E, principalmente, porque o nosso Partido fechou questão”, argumentou Lupi.
O presidente Lupi informou – principalmente àqueles que participavam de uma reunião pedetista pela primeira vez – que, em 22 de janeiro deste ano (data de nascimento de Leonel Brizola), o Diretório Nacional, reunido em Brasília, decidiu, por unanimidade de cerca de 300 membros, votar contra ao pedido de impeachment da Presidenta Dilma. “E nossa reunião não dura três minutos apenas: começa às nove horas da manhã e vai até seis, sete horas da noite. São reuniões longas, em que temos debates, avaliação dos estados etc.”.
Programa do PDT em rádio e televisão
Carlos Lupi informou que, no dia 21 de abril, o PDT apresenta seu programa, cujo tema é Inconfidência Mineira, que, para ele, foi a precursora da República – porque os fundamentos de Tiradentes e seus companheiros que estavam naquele processo era romper com Portugal, criar a independência do Brasil e formatar o que seria os primórdios da República.
Ela faz, ainda, um analogia entre Silvério dos Reis (“aplaudido pela Coroa, premiado pela Coroa”) e os que hoje estão delatando, porque “os Silvérios dos Reis estão por aí”.
Lupi alertou que estamos transformando a sociedade brasileira um tribunal de inquisição: “Eu nunca vi uma condução coercitiva de quem não foi, antes, convidado a ir. A campanha feita pela imprensa é avassaladora. Às seis horas da manhã tinha um helicóptero da Globo filmando a casa do Lula; e a Polícia federal ainda não tinha chegado”.
Boas-vindas, companheiros.
Ao apresentar as boas-vindas aos deputados recém-filiados, Lupi ressaltou a competência do líder da bancada, Luiz Martins, que desenvolve um trabalho importante que agrega os deputados pedetistas e os de partidos que possuem linha de ação semelhante à nossa. Sustenta, ainda, que a vinda destes deputados para o PDT só foi possível por esta maneira de conduzir a liderança da bancada do Partido na Alerj.
Já Luiz Martins – a quem coube fazer uma apresentação mais específica de seus novos liderados – dividiu com Lupi importância deste crescimento, com quadros importantes, fruto de diversas reuniões conjuntas. A única exceção, segundo o líder do PDT, foi Martha Rocha, que o procurou com intenção de se filiar ao Partido: “neste caso, bastou um telefonema meu para o Lupi”.
Ao iniciar sua apresentação, a deputada delegada Martha Rocha disse que “o Universo conspira a nosso favor” para explicar que, pelo fato de, ao chegar à Alerj, ocupar, por sorteio, um gabinete ao lado de Luiz Martins e Jânio Mendes. Como a Assembleia era um universo que ela não dominava, “muitas e muitas vezes, por identidade pessoal, eu ia bater na porta do Luizinho e do Jânio e conversava com eles, mesmo não sendo do mesmo partido”.
A deputada falou de sua felicidade de estar no PDT, porque a primeira titularidade, em sua carreira funcional, foi dada por Leonel Brizola: delegada titular da Delegacia de Mulheres de Campo Grande. E o cargo mais determinante, a seu juízo, foi o de Diretora do Departamento de Polícia Especializada:
– “Naquele momento Nilo Batista teve a coragem de indicar uma jovem delegada a um cargo que era destinado aos mais antigos e aos homens. Depois de minha saída, nunca outra mulher ocupou aquele cargo. Pensem o que foi isto, em 1993”.
Thiago Pampolha, o mais jovem deputado desta legislatura, falou sobre a oportunidade que se abre em sua vida política, ao militar em um partido que tem uma trajetória marcada pela defesa do povo trabalhador: “este partido apaixonado pelo país; este partido apaixonante, pela sua história por todo seu legado”.
Ao terminar sua fala, Pampolha colocou-se – na qualidade de dirigente da Frente Parlamentar da Juventude da Alerj – à disposição dos diversos organismos do Partido para transformar a Frente em um espaço democrático de debate, na luta em defesa da democracia, para a qual juventude tem que ter um papel de protagonista. E concluiu:
– “Eu quero colocar o meu mandato, a minha juventude, a minha disposição na minha futura participação neste Partido, porque estou praticamente iniciando hoje”.

Related posts