Delegado Orlando Zaccone se filia ao PDT em ato com Lupi e Ciro

Líder do movimento “Policiais Antifascismo”, delegado Zaccone destaca força transformadora do projeto trabalhista

por Bruno Ribeiro

Orlando Zaccone, delegado carioca e líder do movimento “Policiais Antifascismo”, formalizou nesta sexta-feira (24/9) a sua filiação ao PDT em ato realizado no Tijuca Tênis Clube prestigiado com as presenças do pré-candidato do PDT à presidência da República, Ciro Gomes, do presidente nacional da legenda, Carlos Lupi e da deputada estadual Martha Rocha, ex-candidata do PDT à prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro.   Agradecendo o apoio da militância pedetista presente Zaccone, que é pré-candidato a deputado federal, abordou a relevância de oferecer à população um caminho concreto para recuperar o país após anos de retrocessos gerados por Jair Bolsonaro.

“Fico muito feliz de estar com vocês nesse momento de filiação ao PDT. É uma honra poder ter essa oportunidade”, disse, mencionando o projeto trabalhista construído por Leonel Brizola e Darcy Ribeiro no estado.

Colocando o Projeto Nacional de Desenvolvimento (PND) como ferramenta propulsora, Ciro abordou a crise conjuntural brasileira, com destaque para as medidas bolsonaristas para suprimir direitos e conquistas históricas, além de atingir a base da democracia.

“A gente não pode passar correndo pelos números, que traduzem a tragédia que impacta a sociedade brasileira. São os piores índices da história. Temos um modelo econômico de um neoliberalismo picareta, bem como o político a partir do presidencialismo de coalizão”, relatou o ex-ministro da Fazenda.

“A sua filiação ocorre quando a política sofre desmoralização no imaginário do nosso povo. Você vem do mundo real apostando na política como linguagem da democracia”, completou, que mais cedo visitou a fábrica da Granado, em Japeri (RJ), e esteve reunido com representantes religiosos em reunião do movimento Cristãos Trabalhistas.

Na sua manifestação, Lupi mostrou o comprometimento da sigla contra a onda fascista que impacta o Brasil. Por isso, exaltou a chegada de novos membros vinculados com os princípios democráticos.

“Nós temos a ousadia de querer representar a massa, de quem não tem voz. Zaccone é muito bem-vindo para agregar nessa luta contra o fascismo representado pelo genocida do Bolsonaro”, salientou.

A deputada estadual Martha Rocha relembrou sua trajetória como delegada e chefe da Polícia Civil e mencionou a qualidade do Zaccone como profissional e militante político.  “O PDT é a cara da sua história de vida, que não silenciou diante da injustiça e sempre lutou pela democracia”, mencionou.

Secretário nacional de Criatividade e Inovação da Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini (FLB-AP), Leonardo Lupi destacou o interesse do PDT de fomentar o debate coletivo sobre a segurança pública.

“O PDT se preocupa com os trabalhadores, incluindo os policiais. Não tem como falar de mudanças na segurança sem abordar o genocídio. Vamos tratar o tema através do olhar do Trabalhismo e dentro do Projeto Nacional de Desenvolvimento”, explicou.

Também estiveram presentes prestigiando o ato – além de artistas como o cantor Tico Santa Cruz e representantes de movimentos sociais e de classe –  lideranças partidárias como os deputados federais Chico D’Angelo (RJ) e Mário Heringer (MG); o deputado estadual  Goura (PR); o secretário de Ciência e Tecnologia e o coordenador de Trabalho e Renda de Niterói, Caio Vianna e Brizola Neto, respectivamente; o presidente do Movimento Negro no Rio, Luiz Eduardo Negrogun e o vice-presidente do PDT da Cidade do Rio de Janeiro, Antônio Albuquerque.

Também foi lançada na ocasião a cerveja “Cirão da Massa”.

Conheça mais o movimento “Policiais Antifascismo”