Covid: PDT assina manifesto de partidos contra Jair Bolsonaro

A partir da Fundação Leonel Brizola, partido assinou manifesto do Observatório da Democracia

“É a escalada de uma verdadeira tragédia humanitária”, evidenciou o manifesto assinado pelo PDT, a partir da Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini (FLB-AP), no último sábado (19). Pelo documento organizado pelo Observatório da Democracia, partidos do campo progressista prestaram solidariedade às 500 mil vítimas da Covid-19 no Brasil e exigiram punição ao presidente da República, Jair Bolsonaro.

“400 mil vidas teriam sido salvas se o presidente Bolsonaro houvesse adotado o comportamento médio dos governos dos demais países e não tivesse enveredado conscientemente por um caminho que nega a ciência, a vacina e, por isso mesmo, além de estimular a transgressão das normas sanitárias, deixou de adquirir as vacinas na hora certa”, expõe o texto.

“O presidente, conscientemente, retardou a compra de vacinas, alegando que se devia estimular a “imunidade de rebanho”; na verdade, o objetivo tem sido fomentar a criação de um clima de caos para favorecer sua escalada golpista”, acrescentou.

Ao citar as duas manifestações nas ruas de todo o país, entre maio e junho, a ação conjunta estimula a mobilização para frear o avanço da “tragédia” inserida pelo governo federal e o consequente afastamento do principal responsável.

“As Fundações partidárias abaixo assinadas conclamam àqueles que têm compromisso com a vida: os partidos políticos, os movimentos organizados da sociedade, os governadores, prefeitos, parlamentares, cientistas, intelectuais, trabalhadores, empresários, igrejas, mulheres, professores, estudantes, enfim, a sociedade organizada, a se unirem para barrar essa tragédia e esse genocida e assim iniciar um período de reconstrução nacional.

O manifesto também foi assinado pelas fundações Lauro Campos/Marielle Franco, do Psol; João Mangabeira, do PSB; Maurício Grabois, do PCdoB; Perseu Abramo, do PT; Ordem Social, do PROS; Astrojildo Pereira, do Cidadania; Rede Brasil Sustentável, da Rede, e Verde Herbert Daniel, do PV.

(por Bruno Ribeiro)

Para acessar o documento na íntegra, clique aqui