Ciro: ‘Integração escola-esporte é prioridade no meu projeto Brasil’

Ciro felicita atletas e fala da necessidade de políticas públicas voltadas para o esporte

*Por Bruno Ribeiro / PDT-RJ

“O diálogo escola-esporte é fundamental para a formação e inclusão dos jovens”, garantiu Ciro Gomes, pré-candidato a presidente da República pelo PDT. Em vídeo divulgado nas suas redes sociais nesta segunda-feira (9), o ex-ministro da Economia ressaltou que a prática de modalidades está entre as políticas públicas prioritárias do Projeto Nacional de Desenvolvimento (PND), conjunto de ações organizado para o possível governo trabalhista, a partir de 2023.

Ao citar as conquistas da ginasta Rebeca Andrade, do boxeador Hebert Conceição e do corredor Alison dos Santos como mobilizadoras das futuras gerações, o pedetista fez questão de exaltar a simbologia da participação brasileira nos Jogos Olímpicos de Tóquio, no Japão.

“Todos, absolutamente, todos os atletas brasileiros estão de parabéns, independentemente de terem conquistado ou não uma medalha. Cada um deles é um belo exemplo de superação num país que pouco apoia os seus esportistas e condena muito de seus jovens a uma vida de desesperança e frustração. Principalmente os jovens negros e pobres”, afirmou.

Aproveitando o efeito multiplicador, Ciro defende a massificação das atividades desportivas nas instituições de ensino a partir de ações articuladas entre governos e representantes privados e do terceiro setor.

“Se um dia eu tiver a honra de dirigir essa Nação, o esporte terá o apoio que merece. O esporte será encarado como política pública, assim como são a saúde e educação. Com essa filosofia, será possível manter uma estrutura articulada entre os governos federal, estaduais e municipais. E criar novas bases de parceria com a iniciativa privada e ONGs”, explicou.

“O esporte é capaz, também, de dialogar com outras áreas sociais, fortalecendo o espaço público e integrando as comunidades. Funcionando como ferramenta decisiva na prevenção da violência, das drogas e da criminalidade”, completou.

Pódios

Na atuação dos representantes de alto rendimento, o presidenciável estipula um patamar para as próximas edições olímpicas, que serão realizadas em Paris, na França, em 2024, além de Los Angeles, nos Estados Unidos, em 2028.

“Como eu quero fazer um governo baseado em metas, terei também uma meta concreta no esporte: no final do governo, estarmos no G-8 do ranking de medalhas olímpicas”, disse.

“Para alcançar isso, uma das ferramentas fundamentais será ampliar e aperfeiçoar o programa Bolsa Atleta, melhorando seus valores e garantindo melhor status aos treinadores. E levar praças esportivas para onde elas mais fazem falta: os bairros periféricos e pobres das grandes cidades”, concluiu.