Ciro pede atenção à segurança sanitária nos atos contra Bolsonaro

Presidenciável do PDT reforça importância de usar máscara no protesto e evitar aglomerações

“Cuide-se”. Pedindo atenção com as medidas sanitárias para combater a Covid-19, o presidenciável do PDT, Ciro Gomes, opinou sobre a participação popular nos protestos contra o presidente da República, Jair Bolsonaro. As ações estão programadas para este sábado (29)  em todas as regiões do Brasil.

“Deixa eu ponderar como pai e avô: nós estamos começando uma terceira onda dessa terrível epidemia, que é tratada com todo o negacionismo, com toda a irresponsabilidade, como nós estamos vendo. E enquanto a vacinação não cobrir a maior parte do nosso povo, aglomerar não é necessariamente uma coisa boa para se fazer”, alertou.

Diante da mobilização, o pedetista reforça a importância de seguir as determinações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para evitar a proliferação do coronavírus.

“Se de todo você não puder evitar e for mesmo, mantenha a distância, use a máscara, use álcool em gel, cuidado com os provocadores. Bolsonaro é um irresponsável. Ele vai mandar infiltrar gente para provocar”, enfatizou.

“Nós somos a turma da vida, da ciência, que têm compromisso com o futuro e com as questões que a ciência nos orienta”, completou.

No Rio a maior preocupação dos organizadores também é a questão da segurança sanitária.  O ato unificado “Fora Bolsonaro” no Rio, será a partir das 10 horas da manhã no monumento de Zumbi na Avenida Presidente Vargas, construído no Governo de Leonel  Brizola por iniciativa de Darcy Ribeiro e entidades do Movimento Negro. Segundo um dos organizadores, Julio Villas Boas, “se o governo nos faz ir à rua no meio da pandemia, que façamos isto com o máximo de segurança possível”.

Os participantes são obrigados a usar máscaras, de preferência os modelos PFF2/N95 e há recomendação de não abaixar a máscara mesmo ao falar em microfones, megafones ou aparelhos do gênero. O risco de disseminar o vírus ao discursar, é grande.

A recomendação geral é que as pessoas se mantenham afastadas pelo menos um metro e meio na manifestação, estendendo os braços, se necessário. A organização está pedindo que todos levem álcool gel e o use sempre, antes e após contato com outras pessoas e objetos.  Também há recomendação para que mesmo depois do ato, as pessoas não se aglomerem e se dispersem rapidamente.   Também estão pedindo que quem está com sintomas como tosse, coriza ou cansaço – evite ir ao ato.

( Bruno Ribeiro / OM / PDT-RJ) 

Assista ao vídeo do Ciro Gomes  aqui.