Ciro: Petrobrás lucrou mais que  BB, Itaú, Bradesco e Santander juntos

Ciro diz que é mentira que mudar política de preços da Petrobrás quebra a empresa

Ciro Gomes, pré-candidato à presidência da República em 2022 pelo PDT, em novo vídeo sobre a gestão da Petrobrás e o aumento dos combustíveis, denuncia que desde a dolarização do preço dos derivados no governo Temer, mantida por Bolsonaro, a Petrobrás sozinha teve lucro maior do que a soma do lucro dos quatro maiores bancos brasileiros juntos: Itaú, Santander, Bradesco e Banco do Brasil. Ciro também desconstruiu, como mentiroso, o argumento de que mudança na atual política de preços dos combustíveis provocaria a quebra a empresa.

Segundo aponta Ciro, de outubro de 2020 a outubro de 2021, a soma do lucro destes quatro bancos foi de R$ 83 bilhões, enquanto a Petrobras faturou R$ 135 bilhões. Ele ressalta que o salto nos ganhos não veio de melhoria na produção, na tecnologia, no aumento do refino, no aumento de participação no mercado internacional ou pela descoberta de novas reservas.

“A Petrobras simplesmente descobriu uma forma criminosa de explorar o povo brasileiro: atrelou o preço dos combustíveis ao dólar, e como o preço do barril disparou no mercado internacional, e o real se desvalorizou bastante no governo Bolsonaro, os lucros dispararam junto com o dólar. Tudo isto em benefício de seus acionistas em prejuízo do povo brasileiro, pois “apenas os brasileiros ficaram para trás, com poeira e lágrimas nos olhos”, denunciou.

Em 2020, a taxa média de lucro da indústria mundial de petróleo foi de 6,8%.  Já a taxa de lucros da Petrobras no segundo trimestre deste ano foi de 38,7%, por conta dessa política criminosa contra o povo brasileiro.

“O ano em que mais lucrou na história foi também o período em que a Petrobrás menos investiu e menos amortizou a sua dívida, distribuindo todo o lucro para acionistas”, criticou Ciro.

Ações da Petrobrás, estatal criada por Getúlio Vargas para abastecer o mercado brasileiro de derivados de petróleo, sem se preocupar com lucros, foram vendidas na Bolsa de Nova Iorque primeira por Fernando Henrique Cardoso, a preços baixíssimos; política de benefício de acionistas privados que foi mantida no governo de Lula – que também vendeu milhões de ações da empresa no mercado privado a título de capitalização da Petrobrás para explorar o pré-sal, a maior descoberta da indústria petrolífera mundial dos últimos 50 anos.

Na página de internet “Congresso em Foco”, desta terça-feira (7/12) está a informação de que a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado aprovou hoje  o projeto de Lei 1.472/ 2021, que cria o programa da estabilização do preço do petróleo e de derivados no Brasil.

A proposta cria diretrizes e referências para a política de preços de derivados, levando em consideração não apenas os preços internacionais, mas também os custos internos de produção, de modo a melhor refletir a realidade local. O objetivo é que, com as mudanças, os preços dos combustíveis e do gás de cozinha caiam.

“Mais uma vez, diante da inércia do presidente Bolsonaro, coube a esta Casa ajudar a população brasileira, que não aguenta mais tanta alta nos preços dos combustíveis e do gás de cozinha. O governo federal falou que não tem uma solução para o tema e solicitou uma ajuda.

Sou líder da oposição e estamos aqui apresentando uma cesta de ferramentas para o governo atacar o problema e ajudar milhões de brasileiros”, afirmou o relator, Jean Paul Prates (PT-RN).

(por OM com Toda Palavra)

Veja o vídeo: