Ciro critica Bolsonaro e Doria por fazerem uso político da Coronavac

Ciro: governantes deveriam ser responsabilizados pelos impactos gerados no Brasil

*Por Bruno Ribeiro / PDT-RJ

“Não é possível fazer carnaval sobre uma obrigação”, afirmou o ex-governador do Ceará, Ciro Gomes, condenando o presidente Jair Bolsonaro e o governador João Dória por usarem o desenvolvimento, a produção e a distribuição da vacina CoronaVac como ferramenta de capital político. Durante a entrevista para José Luiz Datena, na Rádio Bandeirantes, nesta segunda-feira (18), o pedetista indicou que o desespero da população as mortes provocadas pela pandemia de Covid-19 virou “disputa demagógica” entre Bolsonaro e Doria.

“Para você ver o nível de canalhice que o Brasil tem sido governado pelo Bolsonaro e por esses politiqueiros que fazem da tragédia do Covid, da economia brasileira, um palanque eterno sem disciplina, sem respeito aos quase 210 mil mortos contados”, criticou Ciro.

“Não é brincadeira a falta de responsabilidade do Bolsonaro e do Pazuello, e os dois,  na minha opinião, deveriam ser cassados e presos pelo genocídio que estão promovendo”, afirmou. E destacou: “Doria, por sua vez, que está fazendo ‘marketagem’ em cima de assunto tão grave.”

Imunização

Neste domingo (17), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) liberou emergencialmente lotes importados dos imunizantes CoronaVac, produzido pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, e AstraZeneca, desenvolvido pela Fiocruz e Universidade de Oxford, bem como fabricado na Índia.

Ao valorizar as aprovações, que representam “a vitória da ciência sobre o negacionismo”, Ciro fez questão de alertar para o real cenário do processo imunizatório, se considerado o volume disponível diante da estimulada expectativa propagada pelos governos paulista e federal.

“A Anvisa autorizou apenas seis milhões de doses importadas da China e dois milhões de doses que seriam importadas da Índia. O Brasil iria mandar o avião, mas a Índia não tinha sido avisada. Então, mandou desfazer”, explicou, mencionando o atraso brasileiro em relação à maioria dos países por todo o mundo.

“Seis milhões de doses, em um país que tem 209 milhões de pessoas precisando ser vacinadas, é muito, mas não é nada para justificar essa farra irresponsável, ‘marketológica’ e demagógica. Enfim, a meu juízo, canalha”, ratificou.

O programa do Datena vai ao ar das 10 ao meio-dia, na Rádio Bandeirantes FM, em cadeia nacional, e a entrevista do Ciro foi ao ar a partir do 30º minuto e durou aproximadamente 40 minutos. Ouçam a íntegra do programa: