Manchete

Lupi defende na Câmara dos Deputados quebra de patentes das vacinas contra Covid

Ao participar de reunião virtual na Câmara dos Deputados para discutira quebra de patentes das vacinas contra Covid-19 na manhã desta quinta-feira (8/4), o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, defendeu enfaticamente a medida destacando que “o que está em jogo é a vida humana”. Lupi pediu que seja feito, em caráter de urgência, um decreto legislativo pela quebra as patentes das vacinas contra o coronavírus, que então poderiam ser produzidas por instituições brasileiros, como o Instituto Butantan, de São Paulo, e a Fiocruz, no Rio de Janeiro, argumentando que “a vida não pode esperar, não tem lucro superior à vida porque sem vida não há lucro e sem vida não há mercado”, garantiu o ex-ministro do Trabalho. “Não é hora para vaidades. Vamos salvar a vida do povo brasileiro”. Lupi disse também que desde o início da pandemia o PDT já perdeu cerca de 10% dos integrantes do seu diretório nacional, que faleceram em decorrência da doença. “Não aguento mais perder amigos, irmãos. Estou muito impactado. Estamos perdendo 4, 5 mil brasileiros por dia”, se emocionou.

Manchete

Ciro critica ‘reforma’ de Bolsonaro: “Quem tem que pagar a conta é o andar de cima”

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) criticou a proposta de reforma administrativa do governo Bolsonaro durante live da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), nesta segunda-feira (05). “Em uma sociedade onde cinco pessoas tem a fortuna igual a de 100 milhões de brasileiros, está muito claro pra mim que quem tem que pagar a conta é o andar de cima”, afirmou o pedetista. O ex-governador do Ceará fez duras críticas à gestão de Jair Bolsonaro no enfrentamento à pandemia e lamentou as mais de 330 mil mortes no país. “Se juntar todas as guerras, não morreu um terço do que a covid já matou no Brasil. É disparada a maior crise e da história do país”, apontou Ciro. Ele também manifestou indignação com a situação de insegurança alimentar atual de boa parte da população, em larga escala. “Trabalhador não pode mais comer nem pizza no domingo”.

Manchete

Ciro: ‘Bolsonaro criou comitê anti-covid porque é um genocida na antessala da queda’

A criação do comitê anti-Covid pelo governo federal, nesta quarta-feira (24, foi classificada por Ciro Gomes, como ação emergencial de aliados de Bolsonaro diante da grave crise que o país está vivendo e o possível impeachment do presidente. “A base do Bolsonaro sentiu e resolveu tentar interditá-lo”, afirmou Ciro em entrevista para José Luiz Datena, na Rádio Bandeirantes. “Essa reunião é importante, sim, muito. Mas disso aí não vai sair nada. Já vi esse filme na véspera do Collor e da Dilma cairem. Bolsonaro está na antessala de cair porque é um genocida, assassino, irresponsável e incompetente”, atacou, antes de completar: “Estão sabendo que a coisa degringolou mesmo. Chegou no limite”. Ciro acha fundamental a imediata demissão dos ministros das Relações Exteriores e do Meio Ambiente porque, na sua opinião, “degringolou geral” e enquanto não chegar a vacina, precisamos de isolamento nacional e garantir a sobrevivência da população através de auxílio emergencial de pelo menos 600 reais/mês para as famílias mais pobres. “Se não fizerem isto, querem salvar o próprio pescoço, não o povo que está morrendo”.

Manchete

Partidos apresentarão PEC para responsabilizar Bolsonaro por atos genocidas  

O PDT, através da Fundação Leonel Brizola – Alberto Pasqualini (FLB-AP),, assinou nessa quarta (17/3), juntamente com outras fundações partidárias, Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que torna crime de responsabilidade ações genocidas, como as praticadas por Jair Bolsonaro no exercício do cargo de presidente da República. No texto idealizado pelo Observatório da Democracia, que reúne fundações dos partidos de esquerda do Brasil,  passam a ser tipificados atentados contra a vida humana, por sabotagem ou omissão, em epidemias e pandemias. Como consequências previstas, o afastamento e a interdição de Bolsonaro, que poderão resultar na consolidação do processo de impeachment. O fórum inclui também as fundações Astrojildo Pereira (Cidadania); Lauro Campos e Marielle Franco (PSOL); João Mangabeira (PSB); Maurício Grabois (PCdoB); da Ordem Social (PROS), Perseu Abramo (PT) e Claudio Campos, o documento conjunto será encaminhado ao Congresso Nacional para avaliação dos parlamentares e tramitação para aprovação.

Manchete

Lupi: “Bolsonaro responderá pelos crimes de responsabilidade que praticou”

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, afirmou em vídeo no facebook que Jair Bolsonaro vai ter que responder pelos crimes que está cometendo no combate à pandemia “e nós vamos à última consequências” Lupi condenou a gestão de Bolsonaro na pandemia e acha que só o impeachment dele impedirá que continue cometendo erros, sistemáticamente. “Nós já estamos responsabilizando-o na Corte de Haia. Isso não vai ficar assim. A responsabilidade pelas mortes desses milhares de brasileiros é do senhor Jair Bolsonaro, sim”, frisou, citando a denúncia feita pelo PDT no tribunal internacional da ONU. Lupi também citou o o progressivo aumento das mortes de infectados, a precarização da vacinação e as dificuldades da rede de saúde no país.

Manchete

PDT perde militantes históricos: Ney Ortiz Borges e Hari Alexandre Brust

O PDT perdeu nesta quarta-feira (24) duas de suas grandes lideranças – os companheiros da primeira hora de Leonel Brizola  Hari Alexandre Brust e Ney Ortiz Borges, ambos gaúchos, com trajetórias marcantes de lutas em prol do povo, da democracia e do Trabalhismo. Ambos faleceram em decorrência de problemas de saúde gerados pelo Covid-19: Brust na Bahia, onde vivia, e Ney Ortiz Borges, no Rio Grande do Sul. Presidente de honra do partido na Bahia, Brust faleceu aos 83 anos, em Salvador. O gaúcho construiu um legado na Bahia e foi reconhecido como cidadão soteropolitano em 2020. Autor de uma das biografias escritas sobre a trajetória do fundador do PDT, “Leonel Brizola – Uma Biografia”. Já Ney Ortiz Borges, ex-integrante da ‘Ala Moça” do PTB, foi vereador, deputado estadual e deputado federal – chegando a ser líder do governo João Goulart na Câmara dos Deputados até ser cassado, junto com o presidente, pelos golpistas de 1964.

Manchete

Lupi sobre Ciro e as eleições de 2022: “Nós temos, hoje, candidato e projeto”

Em entrevista à Carta Capital nesta quarta (17/2), o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, confirmou Ciro Gomes como pré-candidato do PDT em 2022 porque “nós temos, hoje, candidato e projeto. É o nosso direito” e o ex-ministro da Economia e ex-governador do Ceará simboliza uma alternativa viável – a partir da sua qualificação e de sua experiência em várias áreas da administração pública, sintetizada agora no seu livro ‘Projeto Nacional: O dever da esperança’, lançada no ano passado. Lupi argumentou que o PDT sempre teve projeto de país, a continuidade do projeto de Getúlio Vargas, e desde 2018 “apresenta o Projeto Nacional de Desenvolvimento” defendido por Ciro. E frisou: “Ciro, para escrever o livro, andou por todo o país”. Lupi avalia que a população não vai mais acreditar em outsiders “como salvadores da pátria”, incluindo artistas de televisão ou apolíticos, pois “já mostrou (Bolsonaro) que não deu certo”.

Manchete

Campos dos Goytacazes: Caio Vianna (PDT) reitera no debate da Inter TV a acusação de que Wladimir Garotinho (PSD) fez a sua campanha baseada no uso de fake News

Os cerca de 360 mil eleitores de Campos dos Goytacazes decidem neste domingo, em 2° turno,  quem será o próximo prefeito da cidade, com mais de 600 mil habitantes, entre os candidatos a prefeito Caio Vianna (PDT) e Wladimir Garotinho (PSD) que nesta sexta-feira (27/11) se confrontaram pela última vez em um debate público com muitas acusações, pela Inter TV Planície, retransmissora local da Rede Globo de Televisão. Na discussão sobre providências na área de Educação, Caio Vianna exaltou o legado de Darcy Ribeiro e Leonel Brizola com a construção de centenas de escolas de horário integral em todo o Estado do Rio, os Cieps, e prometeu priorizar o setor: “Quero garantir que vamos permanecer com a conquista de eleição direta para diretor e diretora das escolas. Vamos investir em Educação, como o grande Darcy iniciou com os Cieps, com a ampliação das escolas integrais, atividades complementares de esporte e artes para o aluno poder ter um ambiente melhor para estudar e aprender”.

Manchete

PDT-RJ elege 51 vereadores no Rio de Janeiro e estará representado em todas regiões do Estado, sendo 17 na Metropolitana, sete no Noroeste e quatro na Região Serrana

Nas eleições de 2020, o PDT elegeu 51 vereadores em 26 municípios do Rio de Janeiro. A cidade de Niterói, na Região Metropolitana, foi o destaque por proporcionar a conquista de quatro cadeiras, incluindo o parlamentar mais votado: Andrigo Carvalho, reeleito com 4.783 votos. Ao todo, o partido terá representantes em todas as áreas do estado fluminense, sendo 17 na Região Metropolitana; nove na Região dos Lagos; seis no Norte Fluminense; sete no Noroeste; quatro na Região Serrana; quatro no Centro-Sul e quatro no Médio-Paraíba. Na Região Metropolitana, que acumula mais de 11 milhões de habitantes e 74% da população do estado a partir da capital e da Baixada Fluminense, os pedetistas estarão presentes, além de Niterói, com quatro vereadores, Maricá, com três; Japeri, com dois, em apoio à prefeita eleita, Fernanda Ontiveros; Tanguá, com dois; além do Rio de Janeiro, Belford Roxo, Nova Iguaçu, Queimados, São João de Meriti e Seropédica com um eleito cada. Na foto, Axel Grael (E), Rodrigo e Andrigo, o vereador mais votado de Niterói.

Manchete

Axel Grael e Bagueira, candidatos do prefeito Rodrigo Neves, vencem a eleição de Niterói em 1° turno com 62,58% dos votos válidos e o PDT elege quatro vereadores

O candidato Axel Grael (PDT), que teve como vice o vereador Bagueira, do Solidariedade, foi eleito com 62,58% para a prefeitura de Niterói em primeiro turno. Ele é o candidato do atual prefeito Rodrigo Neves (PDT) e em segundo lugar ficou o candidato Flavio Serafini (PSOL) com 9,83% dos votos e, em terceiro,  Allan Lyra (PTC) com 9,42%. O PDT elegeu quatro vereadores: Andrigo; Renato Cariello; Binho Guimarães, representante da JS-PDT; e Carlos Boechat.