Carlos Lupi considera ‘distritão’ um golpe da direita contra o pleno direito ao voto

Debatido no Congresso, modelo limitaria representatividade e abrangência dos candidatos nas eleições  

*Por Bruno Ribeiro / PDT-RJ

“É um golpe contra o seu direito”, disse o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, ao criticar o “distritão”, novo modelo eleitoral para vereadores e deputados que está sendo discutido no Congresso Nacional. A manifestação ocorreu nesta segunda-feira (14), pelas redes sociais.

O pedetista ressaltou que a mudança limitaria a representatividade e abrangência dos candidatos nas próximas eleições, o que facilitaria a proliferação de opções baseadas no “domínio econômico, no poder financeiro, em empresas e na milícia”.

Além de desconsiderar os votos excedentes e por legenda, o formato privilegiaria, portanto, os postulantes individualmente mais votados em cada distrito, que seria o padrão de classificação para estados ou municípios a partir do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e sem distribuição proporcional das vagas.

“O distritão acaba com seu direito sagrado de escolher quem você quiser, a qualquer momento, de qualquer parte do estado”, explicou, na sustentação da presença de parlamentares das minorias.

“Você só vai poder votar naquele candidato daquela região específica. Praticamente impedindo a existência de partidos”, complementou.

Veja a íntegra do vídeo aqui.