“Ciro é a continuidade dos sonhos de Brizola”, garante Lupi

No 17° ano sem Brizola,  presidente nacional do PDT vê o Trabalhismo cada vez mais forte

Por Bruno Ribeiro / OM / PDT-RJ

Os 17 anos de falecimento do presidente de honra e fundador do PDT, Leonel Brizola, foram lembrados hoje pelo atual presidente nacional da sigla, Carlos Lupi, com um paralelo da busca trabalhista pelo progresso do Brasil. “Ciro Gomes é a continuidade dos sonhos de Leonel Brizola”, garantiu, em um vídeo publicado, nesta segunda-feira (21), nas redes sociais.

“Esse Brasil não é o Brasil que o Brizola sonharia ver. E eu tenho certeza que Ciro Gomes representará essas ideias de transformação, de tocar nesse câncer, que é a acumulação de riqueza, e cobrar impostos dos ricos, da propriedade, dos grandes grupos”, afirmou, ao referendar a pré-candidatura do ex-governador do Ceará ao Palácio do Planalto.

“Nos ilumine, Brizola. Ilumine Ciro Gomes e o PDT a fazerem com que esse país se transforme como você sempre sonhou: uma nação livre, autônoma, independente e capaz de distribuir renda e oportunidades a todos os seus filhos. Que essa pátria, amada por Leonel Brizola, seja um dia do povo brasileiro”, completou.

Com exaltação à representatividade construída pelo gaúcho de Carazinho (RS) ao longo de 82 de vida, Lupi fez questão de ratificar toda a simbologia do trabalhista vinculada aos princípios pedetistas, como a defesa do trabalhador, do direito dos aposentados e pensionistas e do papel do Estado eficiente.

“Referência do trabalhismo Um brasileiro que pagou altos preços por ser coerente, por defender a pátria e a democracia. Foram 15 anos de exílio, uma vida toda investigada e invadida na sua privacidade. Único governador de dois estados diferentes do Brasil, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro”, destacou.

Pontuando fatos históricos, Lupi citou ainda o movimento da “Cadeia da Legalidade” desde Porto Alegre (RS), em 1961, que evitou o golpe militar e efetivou a posse do então vice-presidente, João Goulart, bem como as mais de 6 mil escolas criadas nas três passagens pelo executivo estadual.

“Marcou a sua vida pelo compromisso com a pátria brasileira, com a lealdade e amor profundo ao povo brasileiro. Perdemos Brizola, mas as ideias não vão com a morte física. As ideias ficam no coração e na memória da gente, na vontade de acertar os caminhos da nação brasileira”, disse.

Lupi estará hoje em São Borja para homenagear a memória do presidente Leonel Brizola, da mesma maneira que Brizola sempre visitava São Borja no dia 24 de agosto, para lembrar o presidente Getúlio Vargas. São Borja, no extremo Sul do país, cidade fronteiriça e separada da cidade argentina de São Tomé por uma ponte sobre o Rio Uruguai, é a terra natal dos presidentes Getúlio Vargas e João Goulart, cunhado de Brizola.  Brizola também está sepultado lá, embora seja de Cruzinha, no jazigo perpétuo da família Goulart, ao lado de sua mulher, Neusa Goulart Brizola, e de Jango – seu cunhado.

Acompanhado da deputada estadual Juliana Brizola e de diversas personalidades trabalhistas, Lupi participará das homenagens dedicadas à memória de Brizola, único brasileiro a governar dois estados – Rio grande do Sul e Rio de Janeiro, este por duas vezes. Também estará em São Borja o ex-prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, que iniciou sua vida política no PT e é pré-candidato do PDT ao governo do Rio de Janeiro.

Confira a íntegra do vídeo aqui.