Brizola vive e completa 95 anos

Brizola vive e completa 95 anos

Hari Alexandre Brust 21/01/2017

Neste 22 de janeiro, o menino Itagiba completa 95 anos. Nascido em Cruzinha município de Carazinho (RS), em 1922, aos 14 anos teve que providenciar o seu registro de nascimento para matricular-se na Escola Agrícola de Viamão (RS), ocasião em que resolveu oficializar o nome de LEONEL, que ele mesmo havia escolhido, em homenagem ao capitão maragato Leonel Rocha.

Nascido em lar humilde, o filho mais novo de Dª Oniva e seu José, foi engraxate, entregador de carne, carregador de malas em Carazinho e mais tarde, para manter seus estudos em Porto Alegre, trabalhou como ascensorista e zelador.

Vitima das carências inerentes a uma família pobre, o jovem idealista, logo sensibilizou-se com os princípios sociais do trabalhismo, pregados por Getúlio Vargas, e participou, em 1945, da fundação do PTB.

Começava ai uma das mais brilhantes e obstinadas carreiras de um político na defesa das suas convicções.

Militante da mocidade trabalhista, o estudante de engenharia Leonel Brizola, assume a presidência desse movimento político e demonstra desde cedo, a sua capacidade de liderança, atraindo estudantes para integrar o Partido Trabalhista.

Seu relacionamento fácil com as lideranças estudantis e sindicais pavimentaram sua candidatura, pelo PTB, à Assembleia Constituinte de 1947 e, aos 25 anos foi eleito deputado estadual com uma proposta inédita: EDUCAÇÃO PARA TODOS.

Em 1949, o engraxate forma-se Engenheiro Civil pela Universidade Federal do RS e, em 1950, casa-se com Neusa Goulart, irmã de João Goulart, sua companheira inseparável, e é reeleito deputado estadual mais votado do RS.

Nomeado Secretário de Obras Pública pelo governador Ernesto Dorneles, revelou-se um excelente administrador e, em 1954, é eleito deputado federal, depois de implantar no Estado o 1º Plano de Obras.

Em 1955, menos de 20 anos depois de chegar sozinho, sem conhecer ninguém, assume a Prefeitura da Capital do seu Estado.

Depois de realizar uma das melhores administrações de toda história da Prefeitura de Porto Alegre, onde construiu 137 escolas primárias, 35.000 novas vagas, acabando com déficit escolar, é eleito em 1958, governador do Estado, onde executou a melhor e mais profícua administração que o Rio Grande do Sul jamais conheceu. Mudou o perfil econômico, industrial, agrícola e educacional do Estado. Quando assumiu o governo encontrou 1.795 escolas e 300.000 alunos. Entre 1959 e 1962, construiu 5.902 escolas primárias, 278 escolas técnicas urbanas e rurais e 131 ginásios, colégios e escolas normais, totalizando 6.302 novos estabelecimentos de ensino. Foram abertas 688.209 novas matrículas e admitidos 42.153 novos professores.

Em 1962 elegeu-se deputado federal pelo antigo estado da Guanabara, e em 1964 foi cassado pelo golpe militar. Vai para o exílio mais longo de um político brasileiro de onde retornou em 1979.

Em 1982 elege-se governador do estado do Rio de Janeiro pelo PDT. Único brasileiro que governou dois estados. Logo que assumiu o governo, nomeou para Secretário de Estado seu Vice-Governador, Professor Darcy Ribeiro, discípulo de Anísio Teixeira, que juntamente com o Arquiteto Oscar Niemayer, surpreenderam o Brasil com o CIEP um Centro Integrado de Educação Pública, uma proposta inovadora de democratização da educação pública.

Em 1990 reelege-se governador do Rio de Janeiro e conclui o maior programa educacional do Brasil, através da implantação de 506 CIEPs.

Dia 21 de junho de 2004, nosso Herói da Pátria saiu de cena.

Registramos a nossa profunda saudade, principalmente, neste momento, em que a corrupção, o nepotismo e a falta de ética corroem os poderes republicanos, sem que uma voz que tenha a sua credibilidade e a sua autoridade, levante-se na defesa do povo humilhado.

“Lembramos a todos que houve um político que foi grande quando vivo e que ficou ainda maior quando a gente sente sua ausência. Viva Brizola, pelo seu tamanho em vida e pelo sentimento de ausência que ele nos passa!” (Cristovam Buarque)

Para nós, seus amigos e seus companheiros, e para mim em particular que em 1957, aos 19 anos passei a integrar a sua equipe na Prefeitura de Porto Alegre, Brizola vive através do legado das suas ideias, da sua coerência e da sua coragem e determinação na luta da defesa dos interesses e dos anseios do povo brasileiro. Cabe a nós, os seus seguidores trabalhistas autênticos, dar continuidade aos seus projetos e as suas propostas consubstanciadas na Missão que Ele legou ao PDT: “Nós temos a nossa responsabilidade com a história. Nosso partido é o único com determinação de assumir as grandes causas nacionais. Nenhum partido é tão nacionalista quanto o nosso. Queremos um país desenvolvido, autônomo, independente. Nós somos a emanação das lutas sociais. O trabalhismo nasceu da Revolução de 30, de uma inspiração do Presidente Getúlio Vargas, que foi evoluindo de acordo com o processo social, empenhado em garantir direitos à massa dos deserdados.

Nós somos as verdadeiras reformas, a mudança, o voto rebelde. O PDT é um partido derramadamente democrático. Somos a expressão brasileira do socialismo democrático e tomamos a feição social democrata, pois é preciso chegar a um certo nível de igualitarismo para termos desenvolvimento. Nós temos genética, somos uma grande sementeira de ideias em beneficio do povo brasileiro. Temos que estar sempre onde está o povo. Existimos para dar voz aos que não tem voz. Nossa ancoragem é a área deserdada da população. Nosso guia é o “interesse público e o bem comum”.”

Related posts